Brasília, 18 de setembro de 2020 - 07h46

Projeto PROSUL será retomado no Chile

28 de janeiro de 2020 - 17:20:14
por: Marcelo Rech
Compartilhar artigo:
Projeto PROSUL será retomado no Chile

Na sexta-feira, 31, será retomado em Santiago, o projeto do Fórum para o Progresso e Integração da América do Sul (PROSUL). Lançado em março de 2019, o PROSUL sofreu um freio drástico por conta dos protestos no Chile. Apesar das dificuldades, em setembro, os chanceleres dos países que o integram, reuniram-se à margem da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque e aprovaram o Plano de Ação proposto pelo presidente Sebastián Piñera. No encontro deste mês, o Chile irá transferir a presidência pro tempore do PROSUL ao Paraguai que já preside o MERCOSUL. O Secretário de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas, Embaixador Pedro Miguel da Costa e Silva, é o coordenador brasileiro para o PROSUL.

Haiti pede e passa a integrar o Grupo de Lima

Haiti pede e passa a integrar o Grupo de Lima

O Haiti pediu ao governo do Peru para integrar o Grupo de Lima e foi aceito no agrupamento nesta terça-feira, 28. A informação é da chancelaria peruana. A solicitação foi feita pelo ministro de Relações Exteriores do Haiti, Bocchit Edmond, ao colega peruano Gustavo Meza-Cuadra, coordenador do grupo. O Grupo de Lima é integrado por Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, Santa Lucia e Venezuela. Formalmente, a Argentina ainda é parte, mas o país também coordena o Grupo de Puebla e decidiu somar-se ao Grupo Internacional de Contato, liderado pela União Europeia. Os três têm em comum a crise na Venezuela como bandeira.

Colômbia, Brasil e Estados Unidos realizam Operação Espada

Colômbia, Brasil e Estados Unidos realizam Operação Espada

Neste domingo, 26, militares da Colômbia, Brasil e Estados Unidos participaram no Forte Militar de Tolemaida, Melgar, cidade distante 123 km de Bogotá, da Operação Espada, o primeiro exercício militar de assalto aéreo em que participaram 75 paraquedistas colombianos e norte-americanos. Os militares brasileiros atuaram como observadores e as manobras tiveram como principal objetivo, fortalecer a interoperabilidade das forças militares envolvidas.

O exercício chamou a atenção por realizar-se poucos dias após a III Conferência Hemisférica de Luta Contra o Terrorismo, evento que teve como ponto alto, o debate em torno da presença, na Venezuela, de militantes do Hezbollah libanês. O ministro da Defesa da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo, e o Embaixador dos Estados Unidos na Colômbia, Philip Goldberg, acompanharam os exercícios. Goldberg reconheceu que a “Venezuela representa uma ameaça e um risco para a região”, mas evitou relacionar a Operação Espada com uma possível intervenção militar dos Estados Unidos naquele país.

Ernesto Araújo terá agenda no Paraguai com prioridade para Itaipu

Ernesto Araújo terá agenda no Paraguai com prioridade para Itaipu

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, estará em Assunção na próxima segunda-feira, 3, para reunir-se com o chanceler Antonio Rivas Palacios. Os dois irão conversar sobre temas relacionados com o MERCOSUL, bloco que é presidido pelo Paraguai, mas o foco será o Tratado de Itaipu e a revisão do seu Anexo C. Além disso, pretendem concluir o acordo automotriz para que os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez possam firmá-lo ainda no primeiro trimestre deste ano.

Esta será a primeira visita do ministro brasileiro ao Paraguai. Os dois países trabalham ainda para aprofundar o comércio, avançar nos temas de segurança, integração produtiva, integração física e para o desenvolvimento do corredor bioceânico, com um melhor aproveitamento da hidrovia Paraná – Paraguai, com o objetivo de alcançar o Pacífico através dos portos chilenos.

Artigos Anteriores