Agenda

Narcotráfico
05/07/2016
ECEME
05/07/2016

Geopolítica

Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional discute seu papel e os reflexos para as Forças Armadas

A convite do Ministério da Defesa, o deputado Heráclito Fortes (PSB) participou, nesta segunda-feira (04), de um painel de debates sobre “O papel desempenhado pela CREDN no parlamento brasileiro e seus reflexos para as Forças Armadas”.

Ana Cristina Guedes

Ex-Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado e, hoje, membro titular da Comissão na Câmara, Heráclito falou sobre o trabalho e as funções desenvolvidas pelo órgão e destacou que ele tem papel central quanto à legitimação das políticas externas brasileiras, possuindo como principais atributos a apreciação de projetos de lei e tratados internacionais. “É um espaço que, hoje, objetiva a promoção de debates públicos com entidades e instituições competentes, com a sociedade civil, acadêmicos e militares, além de produzir estudos estratégicos para a defesa e segurança nacional e administração pública militar”, destaca.

O deputado também ressaltou que, como órgão inserido no âmbito das relações exteriores e defesa nacional, a CREDN deve acompanhar e debater semanalmente as atitudes e posturas tomadas diretamente pela Presidência da República quanto às relações internacionais. “Dessa forma, é imprescindível uma boa linha de comunicação entre a comissão e o gabinete da Presidência que, de fato, deve ser estabelecida pelo presidente eleito para comissão”, disse.

Além de Heráclito Fortes, também participou do evento, o jornalista e especialista em terrorismo Marcelo Rech, do Instituto de Relações Internacionais e Defesa Nacional – INFOREL, que expôs sobre a aprovação da lei antiterrorista e seus reflexos para as forças armadas. “No momento, o cybeterrorismo representa uma grande ameaça ao país e não se está tendo nenhum cuidado sobre isso. O Brasil está negligenciando o assunto”, disse Rech, ao abordar a questão durante o debate, considerando que o país será sede das Olimpíadas deste ano.

O debate contou com a presença de Instrutores e alunos da ECEME – Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *