Agenda

Democracia
24/10/2016
Economia
24/10/2016

Diplomacia

Comissão de Vizinhança Brasil – Colômbia discute integração

Brasília – A Comissão de Vizinhança e Integração Brasil – Colômbia reuniu-se em Brasília na última sexta-feira, 21, com a presença de mais de 50 representantes das esferas municipal, estadual e federal dos dois países. De acordo com o Itamaraty, durante o encontro tratou-se de vários temas relacionados à uma maior integração entre os dois países.

Foram discutidas a articulação de ações públicas na área de saúde, cooperação na capacitação de quadros técnicos para os municípios de fronteira, intercâmbio de experiências no desenvolvimento urbano de Tabatinga (AM) e Letícia, projetos de inclusão financeira de populações de baixa renda envolvendo a Caixa Econômica Federal e a Banca de Oportunidades, da Colômbia, e a cooperação em agricultura familiar na região fronteiriça.

Ainda segundo o ministério das Relações Exetriores, este foi o 18º encontro do mecanismo bilateral, que se reúne periodicamente desde 1994 para examinar temas de interesse para a cooperação fronteiriça entre os dois países. “A   Comissão de Vizinhança e Integração Brasil – Colômbia reflete o aumento da cooperação bilateral observado nos últimos anos e o excelente momento por que passam as relações entre os dois países”, informou o MRE em nota.

Na quinta-feira, 20, a ministra das Relações Exteriores da Colômbia, María Ángela Holguín, recebeu as cartas credenciais do novo embaixador do Brasil em Bogotá, Julio Glinternick Bitelli, que foi chefe de gabinete dos ministros Mauro Vieira e José Serra.

Na oportunidade, eles conversaram sobre a agenda bilateral que, segundo a chancelaria colombiana, “conta com um importante componente de diálogo político marcado pelos mecanismos bilaterais vigentes, entre eles a Comissão Bilateral, a mais alta instância de diálogo e coordenação de alto nível; a Comissão de Vizinhança e Integração, reestruturada em 2012, a Comissão Mista Cultural, Educativa e Desportiva, de 1963, assim como instâncias de alto nível em assuntos econômicos”.

Presidente da Colômbia designa chefe negociador de paz com o ELN

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, designou o ex-ministro da Agricultura do seu primeiro governo (2010 – 2014), Juan Camilo Restrepo, como chefe negociador de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN). O diálogo entre as partes será inaugurado na próxima quinta-feira, 27, em Quito, no Equador. O Brasil é um dos países-garantes do futuro acordo.

O ELN contaria atualmente com cerca de 1,5 mil combatentes e é a segunda maior guerrilha da Colômbia. As negociações com o governo terão início mesmo com o fracasso do referendo realizado para validar os acordos de paz com as FARC.

“Convido a todos os colombianos a que, com espírito patriótico, trabalhemos juntos para alcançar os acordos que nos unam, que garantam que não haja mais vítimas do conflito armado e que nos permitiu a todos os filhos desta grande nação começar a recolher os frutos da paz”, afirmou Santos.

De acordo com o governo colombiano, “Restrepo, um advogado católico de 70 anos de filiação conservadora e vasta trajetória política, liderará por parte do governo as conversações com a guerrilha guevarista, alçada às armas em 1964 por influência da revolução cubana e da Teologia da Libertação, uma corrente da Igreja Católica latino-americana que priorizou a defesa dos pobres”.

Quando ministro da Agricultura, Juan Camilo Restrepo se destacou por  impulsionar a lei de vítimas e a restituição de terras, uma das bandeiras do presidente Santos e que pretendia devolver terras aos agricultores expulsos pelos grupos armados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *