Agenda

Crise em Honduras perto do fim
21/01/2010
Brasil negocia aviões militares com Israel
25/01/2010

Congresso autoriza aumento das tropas no Haiti

Congresso autoriza aumento das tropas no Haiti

A Comissão Representativa do Congresso Nacional, integrada por 24 deputados e oito senadores, aprovou na tarde desta segunda-feira, o pedido do governo de mais 1,3 mil militares para a missão no Haiti.

Desse total, 900 serão enviados imediatamente. Serão 750 militares de infantaria e 150 da Polícia do Exército.

Pela proposta, o Brasil deixa 400 militares na reserva que podem ser enviados a qualquer momento.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, que se encontra em Tel Aviv, negociou a proposta com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) e com membros da oposição que prometeram não criar dificuldades.

Os problemas para o governo devem vir após o recesso parlamentar.

Deputados e senadores querem discutir também o aumento dos recursos repassados ao Haiti.

Alguns partidos como o PSOL e o PSTU vão cobrar a retirada das tropas brasileiras que entendem ser de ocupação.

Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, participa em Montreal (Canadá), da conferência dos países doadores.

Ele esteve em Porto Príncipe no final de semana e pretende cobrar mais dinheiro para a reconstrução do país.

Amorim também vai defender mudanças no mandato da Minustah.

Para o governo brasileiro, o trabalho das tropas das Nações Unidas não podem se restringir à segurança. Os militares devem atuar na reconstrução do Haiti.

A mudança precisa ser aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU e uma proposta brasileira neste sentido será apresentada ao organismo em breve.

Atualmente, o Exército brasileiro mantém uma companhia de engenharia no Haiti com 250 homens. Entre outras coisas, atuam na recuperação de estradas e na construção de escolas.

Com a mudança no perfil da Minustah, os 17 países que integram a missão também deverão enviar companhias de engenharia ao Haiti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *