Relações Exteriores

Política
01/06/2005
Haiti
01/06/2005

Minustah

Conselho de Segurança prorroga missão no Haiti por um mês

Embora o Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, Kofi Annan, tenha defendido a prorrogação da Missão de Estabilização do Haiti [Minustah], por mais um ano, os 15 países que integram o Conselho de Segurança da organização decidiram nesta terça-feira, prorrogar por apenas 30 dias a missão da ONU no país.

Segundo fontes diplomáticas, o Conselho estava inclinado a prorrogar a missão por mais seis meses, mas por razões técnicas, essa aprovação se deu por mais um mês apenas.

Os membros do Conselho de Segurança querem evitar que um eventual futuro mandato da ONU no país, coincida com as eleições marcadas para o final do ano.

Também se especula que os demais países que integram a Minustah, estariam interessados em destituir o general brasileiro Augusto Heleno Ribeiro, do comando das tropas internacionais.

A tendência é que o Conselho de Segurança se reúna a cada 30 dias para avaliar a situação e renovar a missão mês-a-mês.

Decisão do Conselho de Segurança foi tomada logo após a apresentação do relatório em que Kofi Annan sugeria o aumento do efetivo da Minustah em 750 soldados.

Ele também afirmou que a prorrogação da missão por mais 12 meses, seria crucial para que houvesse uma transição segura no país.

Atualmente, a Missão de Estabilização do Haiti conta com 6.211 soldados, quase 500 a menos que o número aprovado pela resolução da ONU. São 1.413 policiais civis e 800 agentes haitianos.

O Brasil mantém 1.200 militares no Haiti. Nesta quarta-feira, o 3º contingente da Brigada Haiti embarcou para Porto Príncipe. Os 280 militares vão substituir o 2º contingente que permaneceu no país por seis meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *