Brasília, 20 de outubro de 2019 - 01h54
Corredor Rodoviário Bioceânico será tema de debate no Senado

Corredor Rodoviário Bioceânico será tema de debate no Senado

12 de setembro de 2019 - 12:57:45
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CRE) do Senado Federal, aprovou nesta quinta-feira, 12, requerimento do senador Nelsinho Trad (PSD-MS), para que seja realizada uma audiência pública destinada a debater os diferentes aspectos relacionados com a Rota Bioceânica que ligará o Brasil ao Pacífico, através do Chile.

Em 21 de dezembro de 2015, os presidentes do Brasil, Argentina, Chile e Paraguai, em reunião realizada à margem do Conselho do Mercado Comum, do MERCOSUL, firmaram a Declaração de Assunção, por meio da qual foi criado um Grupo de Trabalho, coordenado pelas chancelarias dos quatro países e integrado pelos ministérios de Transportes e outras instituições vinculadas, com o propósito de realizar estudos técnicos e definir ações que viabilizassem a implantação do Corredor Rodoviário Bioceânico.

A proposta irá conectar Campo Grande-Porto Murtinho (Brasil) - Carmelo Peralta-Mariscal Estigarribia (Paraguai) -Pozo Hondo, Misión La Paz-Tartagal- Jujuy-Salta (Argentina) - Passo de Sico-Passo de Jama-Antofagasta/Mejillones/Iquique (Chile).

De acordo com o senador, “o projeto da rota bioceânica vai estimular o comércio dos países da América do Sul e reduzir os custos dos setores agroexportadores. Sairá do Brasil pelo Estado do Mato Grosso do Sul, um dos maiores produtores rurais do país com foco na exportação”, afirmou. Ele lembrou que, atualmente, praticamente toda a produção do Centro-Oeste é escoada para os portos de Santos e Paranaguá.

“Buscando o mercado de consumo oriental, as cargas acabam seguindo por três possíveis caminhos de navegação, Canal do Panamá, Patagônia ou sul da África. Com a conclusão das obras do corredor bioceânico, teremos a economia de 8 mil km de navegação no transporte das cargas e chegar na China, por exemplo, até 6 dias mais cedo”, explicou Trad.

Na fronteira do Brasil com Paraguai na cidade de Porto Murtinho uma futura ponte é considerada a principal obra do corredor. Hoje a travessia é feita por pequenas balsas que não têm capacidade para o transporte de caminhões. Já existe um acordo entre o Brasil e Paraguai na divisão dos custos.

Segundo Nelsinho Trad, “a conclusão da rota bioceânica reduzirá o tempo de trânsito e o custo do serviço de transporte, armazenagem e inventário, além disto estimulará o uso de um novo modal para o escoamento da produção, estimulará a formação de novas parcerias, bem como promoverá o desenvolvimento de projetos de integração produtiva e a agregação de valor nos países de origem e de destino, assim como nos países de trânsito”, desactou.