Brasília, 10 de dezembro de 2018 - 08h03

Clima

19 de outubro de 2016
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

1. A 23ª Reunião de Ministros do BASIC sobre Mudança do Clima ocorreu no Marrocos, em 17 de outubro de 2016. Participaram da reunião a Ministra do Meio Ambiente da África do Sul, Sra. Edna Molewa; o Representante Especial para Mudança do Clima da China, Sr. Xie Zhenhua; o Ministro do Meio Ambiente, Florestas e Mudança do Clima da Índia, Sr. Anil Madhav Dave; e o Subsecretário-Geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Embaixador José Antonio Marcondes. Em linha com a abordagem "BASIC-plus", o Sr. Salaheddine Mezouar, Ministro das Relações Exteriores e de Cooperação do Marrocos e futuro Presidente da COP22/CMP12/CMA1, e o Embaixador Wael Abou El Magd, Vice-Ministro das Relações Exteriores para Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Egito, representando a presidência da Conferência Ministerial Africana sobre Meio Ambiente (AMCEN), também estiverem presentes à reunião.



2. Os Ministros expressaram seus agradecimentos ao governo da África do Sul por organizar a reunião, assim como seu apoio à futura presidência marroquina da COP22/CMP12/CMA1. Eles enfatizaram a importância da Conferência sobre Mudança do Clima de Marrakesh como uma etapa significativa no processo de implementação do Acordo de Paris e como um novo marco na aceleração da implementação pré-2020. Eles reafirmaram que os trabalhos para a implementação do Acordo de Paris e para a aceleração da implementação pré-2020 devem estar plenamente alinhados aos princípios da equidade e das responsabilidades comuns, porém diferenciadas e respectivas capacidades. Eles reiteraram a importância de um processo aberto, transparente, inclusivo e conduzido pelas Partes.



3. Os Ministros renovaram seu compromisso de trabalhar com todas as Partes de forma a que a COP22 resulte em maior entendimento e convergência em relação aos assuntos-chave relacionados à implementação do Acordo; expressaram a confiança de que mais avanços concretos ocorrerão em relação à ação pré-2020 e à agenda global de ação. Ademais, os Ministros do BASIC reiteraram seu compromisso com o fortalecimento da unidade do Grupo dos 77 e a China e com a promoção de seus interesses comuns.



4. Os Ministros ressaltaram a importância de acelerar a implementação de compromissos e ações no período pré-2020 e, em particular, de ratificar a Emenda Doha ao Protocolo de Quioto, assim como de tratar das lacunas em mitigação, adaptação e provisão de meios de implementação. A esse respeito, os Ministros instaram às Partes que são países desenvolvidos a rever e aumentar suas metas de redução de emissões quantificadas e a intensificar a provisão de meios de implementação, a fim de permitir que os países em desenvolvimento aumentem seus esforços de mitigação e adaptação, lançando bases sólidas para o aumento da ambição e da implementação pós-2020.



5. Os Ministros sugeriram que o Diálogo Facilitador em Marrakesh sobre a aceleração da implementação pré-2020 seja amplo e produtivo, com vistas ao desenvolvimento de recomendações adicionais concretas sobre implementação e ambição pré-2020, inclusive por meio do fortalecimento do desempenho de arranjos institucionais existentes sob a Convenção.



6 Os Ministros saudaram a iminente entrada em vigor do Acordo de Paris em 4 de novembro de 2016. Eles registraram, em particular, a rápida ratificação do Acordo de Paris por muitas Partes, inclusive por membros do BASIC. Os Ministros reconheceram os esforços em curso de outras Partes na Convenção e as encorajam fortemente a ratificar o Acordo assim que possível.



7. Os Ministros também observaram que, como resultado desse desdobramento, a primeira reunião da Conferência das Partes servindo como reunião das Partes no Acordo de Paris (Conference of the Parties serving as the meeting of the Parties to the Paris Agreement – CMA) acontecerá em Marrakesh, em conjunto com a COP22. Os Ministros enfatizaram a necessidade de um processo inclusivo ao completar o trabalho previsto pela Decisão 1/CP.21 em preparação à implementação do Acordo. Nesse sentido, os Ministros solicitaram a continuação dos mandatos conferidos ao Grupo de Trabalho Ad Hoc sobre o Acordo de Paris (Ad Hoc Working Group on the Paris Agreement – APA), ao Órgão Subsidiário para Implementação (Subsidiary Body for Implementation – SBI), ao Órgão Subsidiário para Assessoramento Científico e Tecnológico (Subsidiary Body for Scientific and Technological – SBSTA) e a outros órgãos constituídos, até 2018, sob a supervisão da COP, a fim de preparar minutas de decisões a serem recomendadas à CMA.



8. Os Ministros observaram que a CMA não deve concluir sua primeira sessão juntamente com a COP-22, de maneira a permitir que as Partes tenham tempo de ratificar o Acordo e de avançar no programa de trabalho previsto pela Decisão 1/CP.21. Os Ministros solicitaram à CMA que fossem tomadas as medidas necessárias, durante a COP-22, para que se inicie, de forma inclusiva, a consideração de assuntos relevantes, conforme mandato conferido pelo Acordo de Paris.



9. Os Ministros enfatizaram a necessidade de que a COP-22 avance quanto à operacionalização dos dispositivos relativos a adaptação no Acordo de Paris.



10. Os Ministros reiteraram que os países desenvolvidos devem prover recursos financeiros, desenvolvimento e transferência de tecnologia e capacitação aos países em desenvolvimento, voltados à implementação eficaz e a ações ambiciosas sob o Acordo de Paris por parte destes. Os Ministros enfatizaram a importância de realizar avanços, em Marrakesh, quanto à identificação de vias concretas e claras para alcançar a meta de USD 100 bilhões anuais em financiamento climático até 2020. Tendo USD 100 bilhões anuais como ponto de partida, os países desenvolvidos devem aumentar, progressiva e substancialmente, seu apoio financeiro no período pós-2020. Além disso, os Ministros sublinharam a necessidade de que a COP inicie a consideração, conforme estipulado, de informações a serem fornecidas pelos países desenvolvidos quanto a recursos financeiros públicos, como parte de suas Comunicações Bienais de Apoio Indicativo sobre a provisão de financiamento climático a países em desenvolvimento. Os Ministros solicitaram maior clareza e metodologias robustas, a serem desenvolvidas no âmbito da Convenção, para contabilizar e rastrear o financiamento climático prestado por países desenvolvidos.



11. Os Ministros sublinharam, ademais, a necessidade de apoio aos países em desenvolvimento para a implementação eficaz de suas ações de mitigação e adaptação por meio da aceleração dos trabalhos no âmbito do novo Quadro de Tecnologia e do Mecanismo de Tecnologia. Isso inclui a avaliação para disseminação, transferência e emprego de tecnologias, de forma significativa e tangível, de países desenvolvidos aos países em desenvolvimento. Eles enfatizaram também o papel da inovação e da cooperação internacional em tecnologias relacionadas à mudança do clima para o fortalecimento de ações globais.



12. Os Ministros enfatizaram, ainda, a importância da capacitação na implementação do Acordo de Paris. Eles expressaram o anseio de que os termos de referência para o Comitê de Paris sobre Capacitação, acordado por todas as Partes na sessão de maio 2016 da UNFCCC, em Bonn, sejam adotados na COP-22. Também destacaram a importância da operacionalização da Iniciativa de Capacitação para Transparência e instaram países desenvolvidos a prover apoio adicional e adequado aos países em desenvolvimento voltado ao aperfeiçoamento de suas capacidades em matéria de transparência de ação e de apoio recebido.



13. Os Ministros salientaram a importância vital da avaliação global na consideração do progresso coletivo em todos os elementos do Acordo de Paris, assim como no exame do progresso no alcance das metas globais acordadas, à luz da equidade e do melhor conhecimento científico disponível. Essa avaliação abrangente deverá ter como base a experiência passada e lições aprendidas por meio do trabalho pertinente executado no âmbito da Convenção, incluindo, entre outros, a Revisão 2013-2015 e o documento de síntese das NDC emitido pelo Secretariado, com vistas a permitir que as Partes atualizem e aprimorem as ações e o apoio, de forma nacionalmente determinada e em conformidade com os dispositivos pertinentes do Acordo de Paris.



14. Os Ministros registraram a adoção da emenda sobre HFC ao Protocolo de Montreal e os resultados da 39ª Assembleia Organização da Aviação Civil Internacional. Nesse contexto, as medidas relacionadas a esses resultados devem ser compatíveis com os princípios das responsabilidades comuns, porém diferenciadas e respectivas capacidades.



15. Os Ministros salientaram os esforços dos países do BASIC e de outros países em desenvolvimento no enfrentamento da mudança do clima, tanto pré- quanto pós-2020, e enfatizaram que estes representam esforços bem mais ambiciosos, se comparados com suas respectivas responsabilidades e capacidades. Os Ministros também elogiaram as iniciativas de ação climática por membros do BASIC, a saber, a Aliança Solar Internacional, liderada pela Índia, a Plataforma para o Bio-futuro liderada pelo Brasil, que será lançada na COP-22, e o Fundo de Cooperação Sul-Sul sobre Mudança do Clima da China. Os Ministros acordaram reforçar ainda mais a cooperação e a solidariedade entre os países do BASIC.



16. Os Ministros saudaram a oferta da China de sediar a 24ª reunião Ministerial do BASIC.


Assuntos estratégicos

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...