Defesa

Global Terrorism Index
10/01/2017
MINUSTAH
10/01/2017

Fronteira

Defesa anuncia R$ 450 milhões para o SISFRON em 2017

Brasília – O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou que o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), programa desenvolvido pelo Exército, contará com R$ 450 milhões em 2017. De acordo com o ministro, trata-se de projeto moderno que permitirá fiscalizar a faixa de fronteira do Brasil com dez países sul-americanos. Jungmann fez o anúncio na quinta-feira, 4, após participar de reunião ministerial com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.

Ele informou também que as Operações Ágata sob a liderança da Defesa e coordenadas pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) acontecerão de forma mais frequentes e pontuais de modo a surpreender as quadrilhas que atuam na faixa de fronteira. Jungmann lembrou que a operação, realizada anualmente, mostrou-se pouco eficaz e por isso as diretrizes foram revistas. “A Ágata será contínua. Não apenas num período só. Terá o elemento surpresa e vai se apoiar no sistema de inteligência”, explicou.

O ministro revelou ainda que o governo contará com 35 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica em atuação nos quase 17 mil quilômetros de fronteira. “Em diversos momentos empregaremos as tropas das Forças Armadas”, informou.

Segurança

Como desdobramento de ações no âmbito da segurança pública, o presidente Temer reuniu-se no Palácio do Planalto com os principais ministros de seu governo para debater soluções para o setor. Após quase três horas de reunião, os ministros Raul Jungmann, Alexandre de Moraes (Cidadania e Justiça) e Sergio Etchegoyen (Gabinete da Segurança Institucional) anunciaram as decisões a serem implantadas, seja pelos governos federal, estaduais e municipais.

Para o titular da Defesa, “trata-se de um programa factível e que terá impacto na redução da criminalidade”. De acordo com o ministro da Defesa, outro instrumento fundamental para o controle da fronteira será o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC), que será colocado em órbita no dia 21 de março a partir de lançamento da base francesa em Kouru. O governo investiu R$ 2,1 bilhões no SGDC e terá o controle estatal a partir de base em Brasília e no Rio de Janeiro.

Raul Jungmann confirmou também que por solicitação da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Carmen Lúcia, as Forças Armadas atuarão em apoio ao Poder Judiciário na elaboração do censo penitenciário. O objetivo é realmente permitir que se elabore um raio X do sistema carcerário do país com o levantamento do perfil do presidiário brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *