Brasília, 07 de abril de 2020 - 11h21
Defesa detalha uso das Forças Armadas no combate ao coronavírus

Defesa detalha uso das Forças Armadas no combate ao coronavírus

19 de março de 2020 - 15:59:51
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – Portaria do Ministério da Defesa publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 19, detalha as diretrizes para o uso das Forças Armadas nas ações de apoio às medidas de mitigação das consequências da pandemia do novo conoravírus.

Entre as diretrizes estão questões relativas ao retorno de militares em viagens internacionais; cancelamento de missões; reavaliação de deslocamentos, adestramentos, manobras e exercícios; adoção de medidas de triagem clínico-epidemiológica para acesso a organizações militares; possibilidade de suspensão de férias de profissionais de saúde das Forças Armadas; suspensão de seminários, palestras, solenidades e demais eventos com aglomerações; postergação de cursos; autorização para teletrabalho; e adoção de escala diferenciada de trabalho, entre outras medidas.

A portaria destaca ainda que caberá ao comandante da Marinha disponibilizar recursos operacionais e logísticos para o planejamento de ações, bem como o planejamento e o apoio às ações dos órgãos federais no controle de passageiros e tripulantes nos portos e terminais marítimos. A Aeronáutica irá realizar o mesmo trabalho no controle de passageiros e tripulantes nos principais aeroportos do país. Os aviões da Força Aérea também serão disponibilizados para fazer chegar insumos necessários em todo o território nacional.

O Ministério da Defesa informou que os comandos conjuntos deverão iniciar planejamentos para ações de apoio no controle de acesso às fronteiras, ações visando o emprego de meios de defesa biológica, nuclear, química e radiológica para descontaminação de material; emprego de pessoal em campanhas de conscientização; apoios, com meios de transporte, para fornecimento de alimentação e alojamento de equipes, bem como para a triagem de pessoas com suspeitas de infecção, visando o encaminhamento a hospitais.

Ao chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), a portaria determina que “ative os comandos conjuntos, a serem compostos pelas forças”, a fim de planejar (e acompanhar o planejamento) de atividades e ações.

O secretário-geral do Ministério da Defesa será o responsável por fazer a ligação com o Ministério da Saúde, a fim de contribuir com as informações para o planejamento dessas ações. Caberá a ele disponibilizar, em coordenação com os comandos das forças, os laboratórios farmacêuticos militares para apoiar os órgãos de saúde.