Brasília, 18 de novembro de 2018 - 21h53

Eleições 2010: a mentira como estratégia

20 de janeiro de 2010
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Marcelo Rech



Em outubro, os brasileiros vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, deputados estaduais e federais e renovar 2/3 do Senado.



O Congresso Nacional que pouco produz para a sociedade deve ficar às moscas.



Apenas os temas que poderão ser usados como bandeira política nas eleições, merecerão a atenção de suas excelências.



Além disso, nenhuma novidade. Os nomes serão basicamente os mesmos nos estados e para o Congresso.



Em nível federal, a oposição voltará com José Serra (PSDB-SP) e o governo vai de Dilma Roussef que já deu o tom da campanha petista nesta terça-feira em “comício” para a entrega de obras em Minas Gerais.



Entre outras coisas, a esquerda vai lançar mão de uma estratégia da direita: o medo.



Ao inventar declarações e semear o temor entre os que são beneficiados por suas diversas bolsas, o governo espera que Dilma finalmente cresça nas pesquisas.



A oposição que por oito anos pouco fez, vai tentar vender um Serra competente, sério, gestor e responsável com os recursos públicos.



No entanto, Serra e Dilma possuem algum em comum: ambos são absolutamente antipáticos o que em política pode ser decisivo no contexto de uma eleição.



O PSDB teve o seu mensalão. Houve compra de votos para a emenda da reeleição e muitos atropelos no Congresso para a aprovação de medidas de seu interesse.



O PT repetiu o mensalão. Aliás, o aperfeiçoou.



Atropelou o Congresso e aparelhou a estrutura estatal. Empresas foram usadas politicamente como a Petrobras. O caixa-dois beneficiou todos os dez partidos da coalizão governista.



Na comparação entre quem fez mais e quem fez menos, o que percebemos é a fragilidade nos argumentos.



A sociedade precisa entender de uma vez que seus representantes eleitos têm a obrigação em realizar as obras necessárias, melhorar os serviços pelos quais pagamos impostos obscenos e lidar ética e moralmente com o dinheiro público.



Nada disso é favor.



No entanto, a mentira será a principal estratégia de ambos.



Através dela, a população será induzida a erros que beneficiam apenas aos políticos.



É fundamental que a sociedade se envolva no debate. Que a sociedade exija de seus políticos transparência e compromisso.



O debate político-ideológico interessa apenas àqueles que fazem da política uma forma de ganhar a vida.



O político profissional é hábil em transformar a realidade. Em nos fazer crer que o país está melhor. Que vivemos no primeiro mundo.





Marcelo Rech é jornalista, editor do InfoRel e especialista em Relações Internacionais, Estratégias e Políticas de Defesa e Terrorismo e contra-insurgência. Correio eletrônico: inforel@inforel.org



Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...