Defesa

Embraer vai modernizar caças da Marinha
14/04/2009
Defesa quer fortalecer integração regional
14/04/2009

Embraer vai desenvolver aeronave militar

Embraer vai desenvolver aeronave militar

A Força Aérea Brasileira firmou contrato na tarde desta terça-feira, 14, com a Embraer para o desenvolvimento e industrialização de um avião militar de transporte que substituirá o Hércules C-130.

O projeto deverá custar cerca de US$ 1 bilhão e sete anos de trabalho. A princípio, a FAB pretende adquirir 22 unidades, mas a Embraer pretende colocar o projeto para exportação.

O KC-390 terá capacidade para transportar 19 toneladas e até 80 soldados armados e será utilizada na Amazônia em apoio aos pelotões de fronteira do Exército.

De acordo com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, “as Forças Armadas precisam de uma brigada ligeira na Amazônia, para fazer frente aos conflitos assimétricos e não convencionais”.

Jobim afirmou ainda que “ o projeto está no centro daquilo que reserva a Estratégia Nacional de Defesa para a Força Aérea, para operações de caráter humanitário e o aumento das missões de transporte aéreo logístico”.

Ele destacou que a escolha da Embraer demonstra a confiança do governo numa empresa genuinamente brasileira que tem o domínio do software e do código fonte da aeronave.

O Comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito reconheceu que a tecnologia da FAB está completamente defasada e que a força aposta em parcerias com empresas estrangeiras desde que haja transferência de tecnologia para o Brasil.

“O lançamento do programa KC-390 representa um novo marco na parceria estratégica histórica entre a Força Aérea Brasileira e a Embraer”. Acreditamos que o desenvolvimento do KC-390 resultará em um produto altamente eficiente para uso da FAB em suas missões de transporte de cargas e reabastecimento e representará mais uma plataforma bem sucedida de exportações para a empresa e para o país”, afirmou o presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado.

De acordo com a Embraer, a participação de outros países no programa será avaliada juntamente com a FAB e a entrada em serviço da aeronave está prevista para 2015.

A Colômbia já manifestou interesse em contar com o avião.

Orlando Feirreira Neto, vice-presidente do Mercado de Defesa e Governo da Embraer, revelou que existe uma demanda mundial para este tipo de avião. Segundo ele, cerca de 700 unidades podem ser fabricadas apenas para a exportação, o que pode gerar uma receita de US$ 18 bilhões, em 15 anos.

“O Programa KC-390 contribuirá, a curto-prazo, para a manutenção de empregos de alta qualificação e, a mais longo prazo, tem potencial para gerar expressivos volumes de exportação de grande valor agregado”, informou a Embraer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *