Cuba terá Petrobras, Embrapa e Apex
30/10/2008
Brasil terá tecnologia russa para explorar urânio
31/10/2008

Empresas brasileiras participam de feira em Cuba

Empresas brasileiras participam de feira em Cuba

Entre os dias 3 e 8 de novembro, 24 empresas brasileiras participam da 26ª FIHAV, considerada a mais importante feira multissetorial de Cuba.

Na abertura do evento acontecerá o “Dia do Brasil”, com palestra do presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira.

A FIHAV é realizada há 25 anos e é considerada um importante meio de introdução de produtos e serviços brasileiros no mercado cubano. Anualmente estão presentes mais de 1.200 mil expositores de 30 países, que ocupam uma área de 17,3 mil m² e fecham negócios da ordem 400 milhões de pesos cubanos.

A Apex-Brasil apóia a participação de expositores do Brasil na Feira desde 2003. Na edição de 2007, as empresas brasileiras realizaram negócios imediatos na ordem de US$ 6,7 milhões, com a expectativa de geração de negócios futuros de US$ 33 milhões.

A agência informou que até agosto deste ano, o Brasil exportou para Cuba US$ 335,2 milhões, um crescimento de 74%, e importou US$ 20,1 milhões. Entre os principais produtos comercializados para o país estão óleo de soja, frango, leite, açúcar, arroz, café, carne.

Estudo elaborado pela Apex-Brasil mostra que Cuba representa atualmente um mercado em expansão. Após a grave crise causada pelo fim do bloco socialista no início da década de 90, a economia cubana vem apresentando nos últimos anos taxas de crescimento elevadas.

De acordo com a Apex-Brasil, um dos fatores que contribuem para as altas taxas de crescimento é o direcionamento da economia cubana para o setor de serviços, principalmente o turismo e a saúde.

O fluxo de turistas estrangeiros no país cresce ano a ano, chegando a aproximadamente dois milhões de visitantes em 2006 e 2007.

O comércio para turistas é um dos mais importantes nichos de mercado em Cuba, traduzindo-se em compras internacionais de produtos com alto valor agregado e preços bastante atraentes.

A saúde também tem recebido pesados investimentos por parte do Governo cubano e é voltada tanto para o atendimento da população como para o chamado “turismo de saúde”.

Ainda na área da saúde, a exportação de serviços médicos para países em desenvolvimento da América Central, Caribe e África é também uma grande fonte de divisas para Cuba.

Para o Brasil, além dos setores citados acima, o estudo destaca as seguintes oportunidades:

• Alimentos: chocolates, balas e confeitos; leite e laticínios; massas e preparações alimentícias e preparações de carnes e peixes.

• Casa e Construção: produtos cerâmicos; produtos de limpeza e tintas.

• Máquinas e equipamentos máquinas e motores com atenção às máquinas agrícolas, plásticos e suas obras.

• Tecnologia e saúde: instrumentos de precisão, incluindo equipamentos médicos, e equipamentos eletro-eletrônicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *