Defesa

Força Aérea esclarece processo do Projeto FX2
14/09/2009
Conselho Sul-Americano de Defesa discute bases
14/09/2009

Programa FX2

Empresas terão mais prazo para renovar propostas

O ministério da Defesa anunciou que as empresas finalistas do Programa FX2, têm até 21 de setembro para apresentarem novas propostas. A medida vale para a Dassault, que fabrica o Rafale, preferido do presidente Lula, para a Boeing (F18) e SAAB (Gripen).

De acordo com o MD, essas empresas poderão equiparar suas propostas à já apresentada e negociada com os franceses.

A Força Aérea Brasileira (FAB) espera que o anúncio oficial seja feito apenas após a entrega de um relatório técnico ao ministro da Defesa e ao presidente da República.

Caberá ao presidente Lula definir o modelo que será adquirido. Isso deverá ocorrer somente no final de outubro.

De acordo com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, os compromissos assumidos em 7 de setembro pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, devem se transformar em propostas concretas por parte da empresa Dassault. Sem isso, norte-americanos e suecos voltam à briga.

Jobim explicou que a decisão política do Brasil de ampliar sua aliança estratégica com a França está tomada, mas no caso dos caças, a empresa que fabrica o Rafale precisa melhorar as ofertas já apresentadas.

O ministro criticou aqueles que consideraram precipitado o anúncio feito por Lula após o desfile da Independência. Segundo ele, o presidente apenas informou que as negociações com a França estavam sendo retomadas.

Faltou dizer que o chanceler Celso Amorim assegurou que as negociações que estavam sendo iniciadas com os franceses não seriam feitas com norte-americanos e suecos.

“Os nossos companheiros trabalharam até quase duas horas da manhã. Eu sequer tive tempo de fazer uma reunião com o Ministro da Defesa para discutir toda a profundidade das discussões que eles tiveram. O que significa, claramente, é o que está na nota, nada mais e nem menos que isso, ou seja, nós decidimos começar as negociações para a compra do Rafale,” afirmou o presidente na coletiva com Sarkozy. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *