Brasília, 23 de outubro de 2018 - 01h18

Forças Armadas

26 de maro de 2005
por: InfoRel
Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Colômbia, àlvaro Uribe, terão mais uma oportunidade de aparar as arestas quanto ao relacionamento bilateral que passou por uma forte crise no inà­cio do ano.

Enquanto Chávez acusava Uribe de ter patrocinado um seqüestro em território venezuelano, do guerrilheiro Rodrigo Gandra, das Farc, Uribe deixava claro que a Venezuela seria um santuário para os narcotraficantes que integram a guerrilha.

Com a mediação do Brasil, os dois reuniram-se em fevereiro para definir um cronograma de trabalho conjunto que ponha fim as desconfianças e incremente o relacionamento bilateral. No dia 29, os dois terão mais uma oportunidade de ampliar o diálogo e evitar que a região viva momentos de tensão polà­tica.

Ocorre que o encontro, inicialmente marcado para São Gabriel da Cachoeira [AM], foi transferido para Ciudad Guayana, na amazônia venezuelana. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro espanhol, José Luiz Rodriguez Zapatero, assistirão ao encontro, onde tanto Colômbia como Venezuela, pretendem fortalecer os và­nculos e a cooperação no combate ao narcotráfico, tráfico de armas e ao crime organizado transnacional.

Para o Brasil, o mais importante é ajudar na manutenção do diálogo e da estabilidade polà­tica entre seus vizinhos e parceiros estratégicos. O governo brasileiro aposta no incremento da integração econômica e comercial da América do Sul, além da criação de infra-estrutura fà­sica de transportes, energia e comunicações para a região.

Esses são alguns dos temas que fazem parte da agenda oficial dos governantes, que devem ampliar o diálogo para temas como o combate à  fome e à  pobreza; reforma estrutural das Nações Unidas; diálogo de civilizações; criação da Comunidade Sul-americana de Nações, e a importância dos encontros de Cúpula Ibero-americanos.

Segundo o Itamaraty, esta será uma “oportunidade para que os presidentes Lula e Chávez passem em revista o estágio de implementação das iniciativas acordadas no âmbito da aliança estratégica lançada durante a visita presidencial a Caracas no dia 14 de fevereiro último".

Lula, Uribe, Chávez e Zapatero também devem conversar ainda sobre a venda de armamentos entre si. O Brasil tenta vender aviões de combate para Colômbia e Venezuela, enquanto a Espanha trata dos últimos detalhes para vender corvetas á Venezuela e aviões de patrulha marà­tima e transportes, ao Brasil.

Assuntos estratégicos

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...