Cuba não participará da Cúpula das Américas
09/03/2012
EUA prometem US$ 107 milhões para a América Centra
09/03/2012

EUA acusam Bolívia e Venezuela de fracassarem na l

EUA acusam Bolívia e Venezuela de fracassarem na luta antidrogas

Brasília – Informe do governo norte-americano apresentado ao Congresso daquele país acusa Bolívia e Venezuela de fracassarem em suas obrigações na luta antidrogas durante o ano de 2011.

No caso da Bolívia, os Estados Unidos reconhecem que a erradicação está dentro do previsto, mas consideram o conjunto das ações insuficientes para reduzir a produção.

No ano passado, o país erradicou mais de 10 mil hectares de coca contra os pouco mais de 8 mil de 2010, no entanto, o presidente Evo Morales havia prometido erradicar 20 mil.

Enquanto isso, a produção continua alta apesar da apreensão de 28,35 toneladas de cocaína e a destruição de 25 grandes laboratórios de refino no ano passado.

Para Washington, preocupam os nexos entre as organizações criminosas e grupos terroristas ligados ao narcotráfico, a corrupção e a inseguridade pública.

Venezuela

Já a Venezuela, para o governo dos Estados Unidos, continua sendo uma das principais rotas para o tráfico de cocaína, inclusive porque o Estado segue despreparado para combater esse tipo de crime.

De positivo apenas o aumento da cooperação com a Colômbia. De negativo, a quase absoluta falta de cooperação com os Estados Unidos.

Washington acusa a Venezuela de tolerar a presença de guerrilheiros das Farc e ELN em seu território, de possuir um sistema judiciário frágil, uma cooperação antinarcóticos inconsistente e um ambiente político corrompido.

No informe preparado pelo Departamento de Estado, figuram os países considerados produtores e lugares de trânsito para as drogas: Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru, República Dominicana.

Argentina, Brasil e México são apontados como os maiores provedores de precursores químicos utilizados para produzir estupefacientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *