Agenda

EUA aceitam informar Unasul sobre acordo militar
09/06/2010
Intervenção do Ministro Celso Amorim na Conferênci
15/06/2010

Evento discute relações Brasil – Estados Unidos

Evento discute relações comerciais e política do Brasil com os EUA

Será realizado nesta quinta-feira, em São Paulo, o 3º Fórum Brasil – Estados Unidos que vai reunir especialistas para discutir as relações políticas e comerciais entre os dois países.

O evento é promovido pela Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) e a Universidade de Miami, e terá as presenças do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e do embaixador norte-americano no Brasil, Thomas Shannon.

Além deles, também estarão presentes Susan Kaufman Purcell, diretora do Centro de Política Hemisférica, da Universidade de Miami, Amaury de Souza, da MCM Associados, o embaixador Rubens Barbosa, Emy Shayo Cherman, diretora executiva do Brazil Equity Strategy – JP Morgan, Albert Fishlow, professor emérito da Universidade de Columbia, Jon E.Huenemann, coordenador principal de política Comercial – Access Group, Miller & Chevalier e Mário Marconini, Presidente do Conselho de Relações Internacionais da Fecomercio.

Brasil e Estados Unidos têm suas relações marcadas por aproximação e distanciamento, na política e na economia.

Elogios entre os presidentes Lula e Obama, crítica da Secretária de Estado Hillary Clinton às negociações lideradas pelo Brasil e Turquia junto ao Irã, e a vitória brasileira no processo na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra o subsídio norte-americano aos produtores de algodão, são alguns dos episódios que marcam o relacionamento recente entre os dois países.

No campo econômico, os EUA são o segundo maior parceiro comercial do Brasil (posto perdido no ano passado para a China), movimentando US$ 2,8 bilhões entre exportações e importações em abril deste ano.

Em março, os EUA responderam por 11,3% das vendas do Brasil para o exterior.

Ainda que extremamente dinâmica, as relações entre os dois maiores países das Américas se dão, entretanto, em um contexto de pouca institucionalização.

Por exemplo, há acordo de livre comércio entre ambos, ou, tampouco, acordos de investimentos ou relativos à tributação.

“A Fecomercio e a Universidade de Miami entendem que o momento atual é adequado para os dois países começarem a responder, conjuntamente, a algumas indagações quanto ao futuro das suas relações bilaterais, como, por exemplo, se serão parceiros estratégicos, alinhados em suas prioridades, ou, apenas, dois grandes países que, pragmaticamente defendem cada um o seu lado, mantendo um diálogo aberto, mas distante dos compromissos formais? Por que institucionalizar relações em áreas como o investimento, a bitributação, o comércio ou a mudança climática? A convergência sobre temas mundiais implica, necessariamente, compromissos bilaterais entre os dois países?”, diz a nota distribuída pelos organizadores do evento.

Serviço

A programação do evento está disponível no site da Fecomercio: www.fecomercio.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *