Defesa

Brasil e EUA debatem implementação de sistema inovador de navegação
02/11/2017
Brasil participa de reunião internacional sobre lavagem de dinheiro e terrorismo
06/11/2017

Exercício multinacional AMAZONLOG 2017entra na fase final de preparo

Brasília – O AMAZONLOG17, exercício multinacional interagências de logística humanitária, que será realizado em Tabatinga (AM), entre os dias 6 e 13 de novembro, encontra-se na última fase de preparação. Nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, ocorreu a concentração dos militares componentes das 14 células do Estado-Maior Combinado Multinacional na área da ação, localizada na tríplice fronteira entre o Brasil, a Colômbia e o Peru. Os militares iniciaram os trabalhos finais de coordenação e controle, com vistas à execução do exercício, inédito na América do Sul.

De acordo com o Comando do Exército, ao mesmo tempo, está sendo finalizada a montagem da Base Logística Multinacional Integrada (BLMI), cuja estrutura será o coração do AMAZONLOG17, onde trabalharão e ficarão alojados os cerca de 1.940 militares do Brasil, Colômbia, Estados Unidos e Peru, além de observadores militares de várias nações e integrantes de agências governamentais dos países participantes do exercício. A partir de lá, serão coordenados os Problemas Militares Simulados (PMS) e Ações com Tropas e Meios, que constituem a dinâmica da execução do exercício multinacional.

A BLMI foi concebida em overlays, estruturas temporárias que permitem a rápida montagem e prática manutenção. Os meios para sua construção foram disponibilizados pela Base de Apoio Logístico do Exército, que realizou uma complexa operação de transporte do material, do Rio de Janeiro a Tabatinga, utilizando os modais rodoviário e fluvial, sob a coordenação do Comando Logístico.

Nesta segunda-feira, 6, tudo estará pronto para o AMAZONLOG17. Além das ações humanitárias na área da Pan-Amazônia, será realizada uma ação cívico-social, beneficiando a população local com atendimentos médicos e odontológicos, proporcionados pelo Hospital de Campanha, cuja estrutura foi desdobrada na BLMI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *