Defesa

Para o Uruguai, o Mercosul vive uma crise instituc
16/08/2012
Lançado programa para projetos de pesquisa entre B
16/08/2012

Exército assina contrato para fabricação de 86 bli

Exército assina contrato para fabricação de 86 blindados Guarani

Brasília – O Comando do Exército assinou, no último dia 7, contrato com a Iveco para a fabricação de 86 viaturas blindadas de transporte de tropas sobre rodas VBTP-MR Guarani. O Exército terá R$ 240 milhões para a fabricação do Lote de Experimentação Doutrinária (LED) dos novos blindados, para promover a reestruturação das forças mecanizadas da força terrestre.

De acordo com o ministério da Defesa, as 86 unidades representam o início da produção, pela Iveco, da encomenda prévia de 2.044 unidades do blindado para o Exército. As viaturas serão utilizadas pela Infantaria e Cavalaria, que farão uma experimentação operacional do produto. A expectativa é de que sejam entregues ao Exército cerca de 100 unidades por ano nos próximos 20 anos.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, afirmou que o início da produção do Guarani representa a materialização do Plano de Articulação e Equipamento de Defesa (Paed). Segundo ele, a novidade serve para mostrar que “o Paed está se tornando realidade”, e que sua implementação contribuirá para fortalecer a indústria de defesa brasileira.

Os novos blindados serão produzidos em fábrica totalmente dedicada ao projeto, dentro do complexo industrial da Iveco em Sete Lagoas (MG).

Até o momento, foi entregue oficialmente um único protótipo, em testes no Centro de Avaliação do Exército. A fabricação em larga escala dos Guaranis deverá ser iniciada no começo de 2013.

O Exército prevê a entrega de sete carros blindados até dezembro deste ano. Eles fazem parte de um total de 16 viaturas do lote-piloto do projeto. Já o Lote de Experimentação Doutrinária deverá ter 38 unidades disponíveis até julho de 2013, e os 48 restantes, até julho de 2014.

Segundo a Iveco, a produção começa com índice de conteúdo local acima de 60%. Quando a fábrica estiver operando em capacidade máxima, a cadeia produtiva deverá envolver, no Brasil, cerca de 110 fornecedores diretos e até 600 fornecedores indiretos.

O ministro Celso Amorim lembrou que 48 das 86 viaturas previstas no contrato foram incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos do Governo Federal.

No total, o ministério da Defesa terá R$ 1,527 bilhão do PAC Equipamentos.

A previsão é que, além dos 40 carros de combate Guarani, também sejam adquiridos 4.170 caminhões e 30 veículos Astros 2020 lançadores de mísseis.

Guarani

O Guarani foi desenvolvido com tecnologia brasileira por meio de um projeto conjunto entre o Centro de Tecnologia do Exército e a Iveco.

Trata-se de um veículo anfíbio com tração 6×6 que servirá de base para uma nova família de blindados multimissões, capaz de realizar ações de reconhecimento e apoio de fogo.

Ele pesa 18 toneladas e irá substituir os Urutu e Cascavel, desenvolvidos nos anos 1970 pela extinta Engesa.

O MD informou que a principal característica das novas viaturas é seu design modular, permitindo a incorporação de diferentes torres, armas, sensores e sistemas de comunicações no mesmo carro.

Exportação

Por sua versatilidade, o projeto atraiu o interesse de países vizinhos empenhados em reequipar suas Forças Armadas. No primeiro semestre, houve conversas preliminares com a Argentina, que poderá adquirir 14 unidades do veículo, para uso em missões de paz conjuntas com o Chile.

Livro Branco

No dia 22 de agosto, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados realiza audiência pública, às 11h, para discutir a elaboração do Livro Branco da Defesa Nacional.

O evento terá a participação do general Julio de Amo Júnior, chefe da Assessoria de Planejamento Institucional do ministério da Defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *