Brasília, 23 de fevereiro de 2020 - 01h34
Exército inaugura Comando de Artilharia e reforça poder dissuasório do país

Exército inaugura Comando de Artilharia e reforça poder dissuasório do país

03 de fevereiro de 2020 - 10:10:44
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - Na quarta-feira, 29, o Exército inaugurou na cidade de Formosa (GO), o seu Comando de Artilharia, com sede no Forte Santa Bárbara. A iniciativa, segundo os militares, reforça o poder dissuasório do país. O evento contou com as presenças do vice-presidente, Hamilton Mourão, do ministro da Defesa, Fernando Azevedo, do Comandante do Exército, General Edson Leal Pujol e do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado.

Em seu discurso, o vice-presidente ressaltou a importância do Comando para o desenvolvimento da artilharia do Brasil. “Estamos em festa, porque adquirimos a dimensão estratégica com nossos foguetes, capazes de atingir alvos nos mais profundos pontos dos nossos inimigos”, sublinhou.

De acordo com o MD, o Comando de Artilharia é responsável pela formulação da doutrina e do planejamento da artilharia brasileira. É equipado com foguetes, mísseis e lançadores de foguetes com alcance de 30 a 300 km, utilizando os mais modernos sistemas de defesa do mundo.

Fernando Azevedo destacou que “hoje o Exército concretiza um sonho de mais um projeto significativo, o Astros 2020. Para mim, é motivo de satisfação e orgulho ver o poder de dissuasão das Forças Armadas ser aumentado com essa centralização dos meios de foguete e mísseis”, afirmou.

O General de Exército Cláudio Coscia Moura, oficial de artilharia mais antigo do Exército e chefe do Departamento de Engenharia e Construção (DEC), focou suas palavras no simbolismo das obras do Forte Santa Bárbara: “A constante evolução tecnológica tem contribuído para que o combate moderno se torne, a cada dia, mais especializado, complexo e caro. Essa tendência tem induzido as Forças Armadas de todo o mundo a buscar soluções com eficiência e eficácia”.

O Comando de Artilharia localizava-se em Porto Alegre (RS). As atividades nesse estado foram encerradas, após 47 anos, em dezembro do ano passado.