Defesa

Conselho de Defesa Sul-Americano
09/12/2016
Integração Militar
09/12/2016

Diplomacia Militar

Exército participa da primeira missão de instrução militar na Rússia

Brasília – O Exército enviou após 188 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e a Rússia, com períodos de aproximação e distensão, um militar a Moscou para ministrar aulas de Língua Portuguesa para militares das Forças Armadas. A iniciativa contribui para o aprofundamento da cooperação entre os dois países, por meio da primeira missão de instrução militar do Brasil na Rússia, informou o Comando do Exército.

Ainda de acordo com o Exército, a missão aconteceu neste segundo semestre de 2016, início do ano letivo na Rússia, por meio do Tenente-Coronel Flávio César de Siqueira Marques, que ministrous as aulas na Universidade Militar de Moscou (VUMO – Voyennyy Universitet Ministerstva Oborony).

Siqueira Marques relatou que, atualmente, a vertente de Portugal é ensinada na Universidade, em virtude de históricas missões militares russas em países africanos, como Angola e Moçambique. Ele explicou ainda que o ensino da Língua Portuguesa, com as peculiaridades empregadas pelas Forças Armadas do Brasil, abre caminhos para o fortalecimento da cooperação entre os dois países, facilitando o aumento do intercâmbio entre o Brasil e a Rússia na área de Defesa.

De acordo com o Exército, as aulas da disciplina “Língua Portuguesa para Assuntos Militares” propiciaram extensão ao ensino universitário e consideraram a proficiência dos cadetes, que já estudam essa língua estrangeira por mais de dois anos. Dentre as oportunidades de complementação de ensino, destaca-se, como principal contribuição, o desenvolvimento de termos tipicamente militares, empregados em organizações militares e nas operações.

O ensino oferecido incluiu dinâmicas em grupo, dispositivos eletrônicos de apoio e jogos didáticos, nos quais os militares russos puderam treinar diversos aspectos da língua portuguesa, sempre considerando o vocabulário e a tradução militar.

Esta foi a primeira vez que a instituição recebeu um militar estrangeiro para instrução de seus militares, reconhecendo que o modelo poderá ser estendido a outros idiomas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *