Plano de Saúde Amazônico
21/03/2006
Desenvolvimento
21/03/2006

Microgravidade

Experimento da FEI é aprovado para a Estação Espacial Internacional

A viagem do astronauta brasileiro, Marcos César Pontes, à Estação Espacial Internacional, prevista para o dia 29, às 23h30, levará oito experimentos com pesquisas nacionais, entre eles um minilaboratório do Centro Universitário da FEI [Fundação Educacional Inaciana].

O minilabotário vai estudar as reações enzimáticas em ambiente de microgravidade. O projeto da FEI foi aprovado nos testes realizados em fevereiro pelo INPE [Instituto de Pesquisas Espaciais], em São José dos Campos [SP], e enviado para Moscou, onde recebeu a aprovação final.

Informatizado e controlado eletronicamente, o minilaboratório da FEI, denominado MEK, será utilizado para estudar os efeitos em microgravidade das enzimas lipase e invertase, utilizadas em grande escala nas indústrias química, de alimentos e farmacêutica.

“O sucesso do projeto poderá contribuir para um melhor desempenho deste setor, que é um importante segmento de pesquisa em biotecnologia”, destacou Alessandro La Neve, professor titular do Departamento de Engenharia Elétrica da FEI e coordenador do Projeto MEK e Microgravidade.

Constituído de um dispositivo mecânico, o projeto MEK acopla câmaras de reação que permitem a mistura de dois líquidos diferentes, através de seringas, e circuitos eletrônicos que garantem o acionamento correto dos controles, a monitoração do sistema, a aquisição de dados e o aquecimento dos líquidos à temperatura e tempo desejados.

De volta à Terra, a memória do circuito eletrônico será resgatada. Com o conhecimento científico gerado, a FEI espera contribuir para a otimização dos processos enzimáticos utilizados nas indústrias, com redução dos tempos de reação e quantidade de catalisadores, e aumento de produção.

Desde 98, a FEI realiza pesquisas com diferentes enzimas em ambiente de microgravidade, tanto em vôos do ônibus espacial Discovery, da NASA, como a bordo de foguetes nacionais VS-30 do CAT/IAE, lançados da Base de Alcântara [MA].

Em 2005, a Agência Espacial Brasileira [AEB] abriu espaço às universidades selecionadas através do 2º Anúncio de Oportunidade, para pesquisas em microgravidade.

Em pouco menos de seis meses, a FEI desenvolveu o minilaboratório MEK, dentro de fatores limitantes, como peso, tamanho e outros aspectos de segurança exigidos para vôos tripulados.

O desenvolvimento do MEK ocorreu num trabalho cooperativo entre os Departamentos de Engenharia Elétrica, Química e Mecânica do Centro Universitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *