A morte de Raul Reyes e seu significado político-m
15/05/2008
Acordo UE – Comunidade Andina pode se dar por país
16/05/2008

Força Tarefa Ômega controla o coração da antiga zo

Força Tarefa Ômega controla o coração da antiga zona desmilitarizada

La Macarena (Meta) – La Macarena, um pequeno povoado com pouco mais de treze mil habitantes, está localizada no sul do Departamento de Meta e uma das regiões que foi dominada pelas Farc à época da zona desmilitarizada. É a partir dali que opera a Força Tarefa Ômega, que vai até 2010.

Nessa região compreendida, entre outros, pelos municípios de São Vicente del Caguán, San José del Guaviare, Calamar, Cartagena del Chaina, Penas Coloradas, Remolinos del Caguán, e Uribe, as Farc começaram a se instalar ainda nos anos 50, a partir da Serra da Macarena. Já naquela época houve um grande e significativo “desplazamiento” populacional.

Trata-se de uma força de emprego rápido formada por unidades de elite para operações estratégicas. A região que recebe essa cobertura tem quatro meses de verão e oito de inverno a cada ano, além disso, todos os rios da região são navegáveis.

Nessa região, Jorge Briceño Suárez, conhecido como Mono Jojoy ditou por muitos anos as regras e as leis. Com a presença da força tarefa, as Farc tiveram de evadir-se da região atualmente controlada pelas forças militares.

Uma das primeiras medidas da força na região foi quebrar completamente a logística das Farc e atualmente, além dos combates com a guerrilha, os militares atuam com uma unidade de operações psicológicas que trabalha na destruição da vontade de lutar do guerrilheiro.

As operações são realizadas por grupos diferentes a cada quatro meses. Para o comando central das Forças Militares da Colômbia, pouco adiantava vencer as Farc em outras frentes e permitir que seguissem operando desta região. Portanto, todos os esforços foram empreendidos para que a derrota ali ganhasse um valor simbólico ainda maior.

O general Alejandro Navas Ramos, comandante da Força Tarefa Ômega, afirmou que “destruímos nessa região em três anos, o que as Farc levaram 40 anos para sedimentar. Aqui, a presença do Estado se dá com as forças militares e muito investimento nacional e internacional. Há um trabalho de ação social muito forte e ostensivo. Se frustrarmos essa gente, as Farc voltam, não tenho dúvidas”, explicou.

A força beneficia cerca de 250 mil colombianos de três departamentos – Meta, Guaviare e Caquetá, onde o Bloco Oriental das Farc chegou a manter três mil guerrilheiros. Apenas em La Macarena, as forças militares mantém sete mil homens.

Ele explicou que a Ômega conta com unidades da Armada Nacional, Força Aérea, cinco Brigadas Móveis e a responsabilidade das tropas de elite da Força de Emprego Rápido.

“Com a confiança gerada pelos excelentes resultados alcançados, as unidades da FUDRA foram enviadas ao coração das Farc, na zona de Yari e La Macarena, onde se encontrava a retaguarda estratégica dessa organização terrorista. Nesta região se encontrou e destruiu a indústria de armas da selva, onde se fabricavam grandes quantidades de morteiros e explosivos”, explicou o general Navas Ramos.

A Força de Emprego Rápido (FUDRA), foi criada em dezembro de 1999 e segundo o seu comandante, general William Fernando Pérez Laiseca, representa o paradigma da modernização e reestruturação das Forças Militares da Colômbia.

Trata-se de uma unidade especializada tanto em guerra regular como irregular e está conformada por três Brigadas Móveis e um Batalhão de Serviços para o Combate que conta com helicópteros de transporte, assalto aéreo e ataque. Também recebe apoio direto da Força Aérea com aviões de combate.

Segundo Pérez Laiseca, “a FUDRA é considerada a ponta-de-lança da estratégia militar colombiana e conta com uma provada capacidade de combate. Sua curta trajetória está marcada por ações exitosas nas regiões de Guaviare, Vichada, Cundinamarca, Caquetá, Meta e na Região Andina”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *