Defesa

A nova mercadoria
12/11/2007
Parecer do deputado Paulo Maluf não é votado
13/11/2007

Operação Charrua

Forças Armadas buscam integração em um cenário de guerra convencional

Teve início nesta segunda-feira, a Operação Charrua, um dos maiores exercícios combinados sob a coordenação do Ministério da Defesa e que reune cerca de dez mil militares da Marinha, Exército e Aeronáutica, nos três estados da Região Sul.

A operação tem característica eminentemente ofensiva em um cenário contemplado por batalhas navais, terrestres e aéreas.

Segundo o Comandante Militar do Sul (CMS), General José Elito de Carvalho Siqueira, ex-comandante da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) de 2005 a 2006, “é para isso que existimos, para treinarmos e estarmos prontos para o que a nação precisar e a única maneira de estarmos prontos é treinando, praticando e integrando”.

A Operação Charrua vai até o dia 21 e tem por finalidade o adestramento dos Estados-Maiores do Comando do Teatro de Operações, das Forças Componentes e dos Grandes Comandos Subordinados.

A Charrua constitui-se no maior exercício combinado da América Latina, em função do número de Comandos e efetivos envolvidos das três Forças Armadas. O Comando Militar do Sul e integrantes do Estado-Maior de Defesa, do Comando de Operações Terrestres, da Marinha e da Força Aérea Brasileira (FAB), participam da direção do Exercício.

A Marinha emprega cerca de quatro mil militares, 15 navios, um submarino e 12 helicópteros; o Exército, com aproximadamente quatro mil militares, três Divisões de Exército, 13 Brigadas e mais de 80 Unidades e a Aeronáutica, cerca de 1.500 militares, 60 aeronaves e 19 Unidades Aéreas.

“Trata-se de uma operação complexa que envolve o emprego dos mais variados sistemas operacionais, integrados por eficiente sistema de Comando e Controle, possibilitando a interoperabilidade e a efetiva integração entre as Forças Componentes na condução de operações militares”, informou o comando da operação.

Marinha

A Marinha atua na Operação Charrua como Força Naval Componente, sendo representada nesse Exercício pelo Comando do 5º Distrito Naval, no Comando da Força Combinada Rio Grande, que conta com uma Divisão da Esquadra, do Rio de Janeiro, além de outros meios pertencentes à Marinha do Brasil, ao Exército Brasileiro e à Força Aérea Brasileira. Serão empregados nesta Operação:

– Navio Desembarque-Doca;
– Navio Transporte Tropas;
– Navio Tanque;
– Fragatas Classe Greenhalgh;
– Fragatas Classe Niterói Modernizadas;
– Navios Patrulha;
– Rebocadores de Alto-Mar;
– 2ª Companhia de Fuzileiros Navais;
– Helicópteros UH-12 e UH-14/SH-3/AH-11A;

Exército

O Exército atua exercendo o Comando do Teatro de Operações, cujo Estado-Maior Combinado é composto por oficiais das três Forças. Como Força Terrestre Componente, a 5ª Divisão de Exército contará com os seguintes meios:

– 3ª Divisão de Exército e 6ª Divisão de Exército, com suas Brigadas Subordinadas;

Participação de militares da Brigada de Infantaria Pára-quedista, do Rio de Janeiro/RJ, da Brigada de Operações Especiais, de Goiânia/GO, da 11ª Brigada de Infantaria Leve, de Campinas/SP, da 12ª Brigada de Infantaria Leve, de Caçapava/SP; da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, de Dourados/MS, da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada, de Cristalina/GO; da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, de Guarujá/SP, do Comando de Aviação do Exército, de Taubaté/ SP, do 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes, de Formosa/GO e da 1ª Companhia de Guerra Eletrônica, de Brasília/DF.

Força Aérea Brasileira (FAB)

A Força Aérea se faz presente na Operação Charrua como o Componente Aéreo, representado nesse exercício pela Força Aérea Componente 103 (FAC 103), com o emprego dos seguintes tipos de aeronaves:

F5, A1, R-99A, KC-137, H-34, SC-95, H-1H, P-95, H-50, AT-26, RA-1, R-99B, A-29, KC-130, C-130, C-99, C-97, C-98, e C-95.

Termina Encontro Logístico dos Países Sul-Americanos

O Comandante da Aeronáutica, Brigadeiro Juniti Saito, encerrou na última quinta-feira, 8, o 10° Encontro Logístico dos Países Sul-Americanos, que aconteceu em Recife (PE), e reuniu os Comandantes Logísticos das forças aéreas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Uruguai, Venezuela.

Saito destacou a importância do evento principalmente pelo fortalecimento das relações e pela a aproximação entre os países vizinhos. O próximo encontro será realizado no Chile em março de 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *