Cúpula América do Sul – África será em março de 20
16/12/2011
Missão chileno-brasileira busca história do Pólo S
16/12/2011

Plano Estratégico de Fronteiras

Governo comemora resultados das operações contra o narcotráfico

Brasília – O governo divulgou nesta quinta-feira, 15, os números do Plano Estratégico de Fronteiras que em seis meses resultou na apreensão de 115,2 toneladas de drogas por meio da Operação Sentinela. Isso é 15 vezes mais que o total apreendido entre janeiro e maio desde ano. A nova estratégia foi colocada em prática em 8 de julho.

Entre 8 de julho e 8 de dezembro, 2,46 milhões de pessoas foram abordadas em diferentes pontos da fronteira brasileira de 17 mil quilômetros, contra 390 mil do primeiro semestre de 2011. No total, houve 4.132 prisões em flagrante.

Na semana passada, o ministério da Justiça firmou acordos com os onze estados fronteiriços para adesão à Estratégia Nacional de Fronteiras que disponibilizou R$ 37 milhões para as ações de combate aos ilícitos transnacionais.

O dinheiro será utilizado na implantação de Gabinetes de Gestão Integrados de Fronteira, núcleos integrados de inteligência nas fronteiras e no reaparelhamento de centros integrados e unidades das polícias militares e civis. Também haverá reforço da segurança pública nos rios.

Leilões

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) do ministério da Justiça informou que teve arrecadação recorde de R$ 1,675 milhão com leilão de joias, imóveis, veículos e aviões realizado na terça-feira, 13, em Colombo (PR).

De acordo com a Senad, todos os bens pertenciam a pessoas envolvidas com o tráfico de drogas.

Os recursos irão para o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), que promove ações e programas de repressão, prevenção, tratamento, recuperação e reinserção social de dependentes de drogas.

Cerca de 600 interessados compareceram ao leilão. Um avião Cessna avaliado em R$ 18 mil foi arrematado por R$ 39 mil.

Plano

O Plano Estratégico de Fronteiras é uma ação conjunta entre as Forças Armadas e as forças federais de segurança pública para atuar em operações nas áreas fronteiriças, lançada em junho deste ano.

Seu objetivo central é a redução dos índices de criminalidade e o enfrentamento ao crime organizado por meio da atuação integrada das instituições dos ministérios da Justiça e da Defesa, além da cooperação com os países que fazem fronteira com o Brasil.

Entre os ilícitos mais comuns estão o tráfico de drogas, de armas e de pessoas, além dos ambientais e fiscais, como o contrabando e o descaminho.

A iniciativa se realiza em operações simultâneas. Com foco na inteligência e coordenada pelo Ministério da Justiça, a Operação Sentinela tem a atuação conjunta das polícias Federal, Rodoviária Federal e Força Nacional, além da Secretaria Nacional de Segurança Pública. O Ministério da Defesa e as Forças Armadas são responsáveis pela Operação Ágata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *