Defesa

Honduras pede radar e helicópteros para os EUA
29/12/2011
Ataque Leve
02/01/2012

Governo garante modernização e reequipamento das F

Governo garante modernização e reequipamento das Forças Armadas

Brasília – A presidente Dilma Rousseff assegurou aos militares que o governo apoiará todos os projetos de modernização e reequipamento das Forças Armadas. De olho no desenvolvimento econômico do país, ela aposta na indústria de defesa.

Em almoço com os comandantes militares, a presidente reconheceu o papel desempenhado pelas Forças Armadas.

“O Brasil também tem de reconhecer que esses homens e mulheres necessitam de recursos, não só aqueles dos equipamentos, mas também aqueles que garantam uma vida digna à família militar”, afirmou.

Dilma Rousseff reafirmou ainda o compromisso do Brasil em participar das operações de paz, e defendeu o fortalecimento da indústria nacional de defesa, além do desenvolvimento tecnológico do setor.

De acordo com a presidente, “para construir uma grande nação é fundamental dispor de capacidade na defesa dos interesses pelos mais diversos meios, notadamente os dissuasórios”.

A presidente reforçou também a necessidade de o Brasil fortalecer as relações com as nações amigas, especialmente com os vizinhos sul-americanos.

Segundo ela, “o Brasil é um país pacífico que possui relações baseadas na cooperação e no diálogo com as demais nações, especialmente com os nossos vizinhos, com quem mantemos, há mais de 140 anos, relações amigáveis e pacíficas. Sem sombra de dúvida, esse é um valor importantíssimo quando se vê um mundo em que várias regiões estão hoje vivendo momentos muito conflituosos”.

Em relação às aquisições, a presidente defendeu a necessidade de valorização de uma política de compra das Forças Armadas. “Temos de dar muita importância também a uma política de compras governamentais que tenha o poder de organizar a demanda e, assim, fortalecer a cadeia produtiva de bens industriais e de serviços para a defesa”, afirmou.

Descompasso

O ministro da Defesa, Celso Amorim, chamou a atenção para o fato de que o Brasil enfrenta, atualmente, um descompasso de não ter uma defesa que possa respaldar sua crescente influência no mundo.

Segundo ele, “mesmo um país como o Brasil, que tem a fortuna de não possuir inimigos declarados ou de vislumbrar ameaças iminentes, não pode ser confundido com país desarmado e indefeso”.

Na sua opinião, para mudar essa realidade é necessário garantir o fortalecimento institucional do ministério da Defesa, do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, da indústria de defesa e da obtenção da autonomia tecnológica no setor.

Para tanto, o Brasil precisa contar com um mecanismo de financiamento capaz de dar previsibilidade e continuidade aos investimentos em defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *