Brasília, 17 de novembro de 2018 - 12h08
Grupo Brasil – Argentina defende remoção de barreiras ao comércio bilateral

Grupo Brasil – Argentina defende remoção de barreiras ao comércio bilateral

29 de novembro de 2017
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Brasília – O Grupo Parlamentar de Amizade Brasil – Argentina realizou nesta quarta-feira, 29, a sua 4ª reunião com o objetivo de debater as soluções para a viabilidade da hidrovia Paraná – Paraguai e as medidas sanitárias e fitossanitárias no contexto bilateral. Na oportunidade, houve consenso entre os participantes de que os dois países devem atuar de forma conjunta para remover as barreiras não tarifárias que inibem o comércio.

Além do Embaixador da Argentina no Brasil, Carlos Magariños, também o Embaixador do Paraguai, Manuel María Cáceres, e o Ministro-Conselheiro da Embaixada do Uruguai, Manuel Etchevarren, participaram dos debates coordenados pelo senador Fernando Collor (PTC-AL) e a deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), presidente e vice do Grupo Parlamentar.

Na avaliação do senador Fernando Collor, o processo de reconhecimento das certificações sanitárias entre Brasil e Argentina “é burocrático, extremamente oneroso e absurdamente lento. Não têm mais condições de lidar com tantas regras e proibições. Por que não uma certificação conjunta, estimulando o comércio bilateral e a cooperação criativa?”, questionou.

Já a presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, deputada Bruna Furlan, destacou que “Brasil e Argentina são potências mundiais do agronegócio e precisam remover barreiras e obstáculos anacrônicos à integração”.

Segundo ela, “existe uma longa lista de setores que poderiam ser beneficiados por um espírito de cooperação entre os dois países. É o caso do abacate brasileiro e do camarão argentino, que continuam enfrentando barreiras para a entrada nos mercados vizinhos”, explicou.

Neste ano, o Brasil exportou o equivalente a US$ 82 bilhões para a Argentina e para Eduardo Sampaio Marques, da Secretaria de Defesa Agropecuária do ministério da Agricultura, a quantidade de barreiras não tarifárias e um eventual fechamento do mercado consumidor argentino poderia provocar uma crise social no Brasil.

“Sem mercado externo estamos condenados. A produção do Brasil teria que ser reduzida em pelo menos 30%. Se fechassem os mercados para a carne bovina, seria uma crise social. Estados como Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais teriam uma massa de desemprego impressionante no campo”, alertou.

Na opinião de Bianca Giacomini, a assessora chefe de Assuntos Internacionais da Anvisa, “o primeiro passo a ser dado é no sentido de a Argentina se abrir mais para o mundo. Hoje, o Brasil já cumpre com todos os requisitos da OCDE. Os regulamentos editados pela Anvisa estão em consonância com os regulamentos internacionais, mas infelizmente, a Argentina está mais fechada nesse aspecto”, afirmou.

Subsecretário-Geral da América Latina e do Caribe do ministério das Relações Exteriores, o Embaixador Paulo Estivallet de Mesquita, destacou que “é preciso acelerar e melhorar os procedimentos de contato e a elaboração de novos regulamentos, com a mais ampla e participativa colaboração dos vizinhos. Temos um número delimitado de problemas que precisam ser enfrentados. Para que ocorra a revisão dos regulamentos, o resultado final deve ser por consenso”, disse.

O Embaixador da Argentina no Brasil, Carlos Magariños, sugeriu a criação de uma agência bilateral para regular o comércio entre Brasil – Argentina nos moldes da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (Abacc), criada em 1991. “A burocracia associada ao sistema regulatório cresce de uma maneira muito dinâmica e requer que a autoridade política tome uma decisão para ordenar o processo e evitar essa condição de um país versus outro”, assinalou.

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...