Brasília, 20 de abril de 2019 - 18h24
Grupo de Lima se reunirá no Canadá para examinar crise venezuelana

Grupo de Lima se reunirá no Canadá para examinar crise venezuelana

29 de janeiro de 2019 - 18:16:44
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O Grupo de Lima integrado por 14 países se reunirá no dia 4 de fevereiro, sexta-feira, em Ottawa, no Canadá, para avaliar a crise venezuelana e discutir novas ações. A informação é da chanceler canadense Chrystia Freeland.

Segundo ela, o país trabalha com o Grupo do Rio desde 2017 para buscar uma solução à crise na Venezuela, agravada após a autoproclamação do deputado Juan Guaidó como presidente encarregado do país, na semana passada. O Brasil, Estados Unidos, Canadá e os demais países do Grupo de Lima, não reconhecem Nicolás Maduro como presidente.

No encontro em Ottawa, o grupo também irá avaliar o cenário internacional uma vez que Rússia e China seguem apoiando, inclusive militar e financeiramente, o regime chavista, enquanto a União Europeia deu um ultimatum para a convocação de eleições gerais na Venezuela. Ocorre que o bloco tampouco fechou questão a favor de Guaidó. Alemanha, Espanha, França e Reino Unido, prometeram reconhecer o parlamentar caso Maduro não se pronuncie sobre eleições até sábado, 2.

Crysthia Freeland afirmou que Nicolás Maduro é um presidente “autocrata e ilegítimo usurpador do poder”. “O regime de Maduro renunciou a qualquer legitimidade quando se manteve no poder através de eleições fraudulentas e antidemocráticas no dia 20 de maio de 2018”, explicou.

Ela reiterou que o Canadá junto com o Grupo de Lima cobrou de Maduro a cessão do poder para a Assembleia Nacional, a única instituição que foi eleita de maneira democrática, em consonância com a Constituição da Venezuela. Confirmou ainda que o Canadá em conjunto com Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru, apresentou denúncia contra Maduro e outras autoridades chavistas por abusos aos direitos humanos e ultrajes contra os dissidentes venezuelanos na Corte Penal Internacional, em setembro de 2018.

O Grupo de Lima foi criado em 2017 e é integrado por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Guiana e Santa Lúcia. O Canadá abrigou a reunião ministerial do grupo em outubro do mesmo ano.

Uruguai

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez conversou nesta segunda-feira, 28, com a Alta Representante da União Europeia para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini. Segundo ele, Mogherini informou que a UE poderá somar-se ao México e Uruguai, que decidiram manter o apoio a Nicolás Maduro, para buscar uma solução à crise venezuelana.

Ainda de acordo com o líder uruguaio, Federica Mogherini teria revelado que a Europa não conseguirá a maioria necessária para reconhecer Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

Os dois conversaram sobre a possibilidade de se organizar uma cúpula internacional para pôr fim à crise na Venezuela. O evento seria realizado no Uruguai e para tanto, o Subsecretário de Relações Exteriores, Ariel Bergamino, já está na Itália onde realiza contatos para viabilizar o encontro.