Brasília, 01 de outubro de 2020 - 12h36
Grupo de Puebla discutirá pandemia e apoio à Argentina, Cuba e Venezuela

Grupo de Puebla discutirá pandemia e apoio à Argentina, Cuba e Venezuela

03 de abril de 2020 - 16:11:43
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – No dia 9 de abril, o Grupo de Puebla, criado para fazer o contraponto ao Grupo de Lima, realizará um debate virtual para discutir como os países da região estão lidando com a pandemia de coronavirus. Inicialmente, o Grupo de Puebla pretendia realizar o seu terceiro encontro em maio, em Santa Marta, Colômbia. A ideia central é expressar apoio aos governos da Argentina, Cuba e Venezuela.

Participarão da videoconferência, como convidados especiais, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Ernesto Samper, e os coordenadores do Grupo de Puebla, o chileno Marco Enríquez Ominami e o ex-ministro e ex-senador brasileiro Aloizio Mercadante.

Confirmaram participação, ainda, a ex-ministra colombiana Clara López, o ex–presidente da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, o ex-primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, o ex-presidente do Panamá, Martín Torrijos, o Subsecretário para América Latina e Caribe, do México, e coordenador da CELAC, Maximiliano Reyes, a ex-candidata presidencial do Peru, Verônika Mendoza, e o ex-candidato presidencial do Uruguai, Daniel Martínez.

Os convidados pretendem debater alternativas para os países enfrentarem a crise atual e os seus reflexos econômicos e sociais futuros. Marco Enríquez Ominami fará a abertura do encontro com a Secretária-Executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), a mexicana Alícia Bárcenas.

Logo em seguida, Ernesto Samper, ex-presidente da Colômbia e último Secretário-Geral da UNASUL, debaterá os diferentes aspectos da cooperação entre os governos progressistas da região. O encontro será encerrado com a participação do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que se uniu ao Grupo de Puebla em setembro de 2019.

De acordo com os organizadores, o encontro por videoconferência, reunirá representantes dos 14 países que integram o mecanismo: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, México, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai. O Grupo de Puebla foi criado em julho de 2019.

O Grupo de Puebla pretende também, respaldar as iniciativas adotadas pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, um dos fundadores do bloco, além das propostas apresentadas por ele na reunião emergencial do G-20, relacionadas com a globalização da solidariedade, o fim dos embargos econômicos, o reconhecimento da insustentabilidade das dívidas dos países pobres e a criação de um Fundo Mundial de Emergência Humanitária.