Opinião

Medicina
15/11/2005
Cooperação Militar
15/11/2005

InfoRel: Notícia e Informação

InfoRel: Notícia e Informação

”No te des por vencido, ni aún vencido,
no te sientas esclavo, ni aún esclavo.
trémulo de pavor, piénsate bravo
y arremete feroz, ya mal herido”
Pedro Palacios, argentino, pseudônimo Almafuerte

Marcelo Rech

Esse é um trecho de um poema do argentino Pedro Palácios, conhecido como Almafuerte. Foi-me passado por um grande amigo também argentino, e resume um pouco o sentimento que se tem ao atingir um objetivo. Chegar ao primeiro ano do InfoRel não foi uma tarefa simples e muito menos fácil.

Mas, ao contrário do presidente Lula, eu sabia! Sabia que seria complicado e que haveria uma torcida contra muito forte. Igualmente ao contrário do nosso presidente, do seu partido e de praticamente toda a classe política, não tentei viabilizar o InfoRel com esquemas, para depois justificar que todo mundo faz isso.

O InfoRel nasceu de um projeto acadêmico a dois anos. Com muito sacrifício e apenas duas pessoas, sobreviveu nos últimos doze meses.

Daqui em diante, cada dia no ar será uma vitória. As dificuldades impostas são muitas e implicam uma série de fatores, alguns dos quais simplesmente não temos como fazer frente.

Nossa única pretensão é a de seguir com um trabalho decente, aprendendo com os erros e buscando melhorar todos os dias. Somos gratos àqueles que depositaram sua confiança neste projeto, mas também àqueles que ignoraram nossas propostas, que bateram portas e que se recusaram sequer a ouvir o que era ou pretendia ser o InfoRel.

Aprendemos tanto com as respostas positivas quanto com as negativas, e fazer o sítio também tem sido um aprendizado de vida, de ver como as pessoas são em público e como reagem no privado. Quanta hipocrisia, quanto ego!

Como afirmei no início, eu sabia que essa tarefa não seria fácil. Há muita falsidade e mentira que somadas à retórica e as politicagens, minam nossa força. No entanto, sabemos que estamos fazendo um bom trabalho e que todo projeto, para começar, precisa de apoio e de alguns bons votos de confiança.

Neste período, comemoramos cada acesso, cada novo leitor ou leitora cadastrado [a], cada matéria difundida, comentada e até mesmo criticada. Algumas tivemos de corrigir, pois nunca tivemos a pretensão de ensinar, mas de aprender. No total, foram cinco cursos de capacitação apenas na área de Relações Internacionais e Defesa, com o objetivo de aprender e compreender para poder escrever melhor.

Não eliminamos os equívocos e provavelmente isso não ocorrerá, mas o fato de trabalharmos com simplicidade, infra-estrutura deficitária e sem recursos financeiros, e alcançarmos os resultados obtidos, nos dão razão para seguirmos buscando nosso espaço.

Até quando é difícil precisar, mas certamente, enquanto tivermos o mínimo de prazer e condições. Por isso, mais que tudo, nós queremos agradecer a todos que de uma forma ou outra, contribuíram para que este projeto saísse do papel e chegasse a 30 países e nos 27 estados brasileiros.

Tínhamos muita coisa em mente para marcar essa data, mas as limitações de toda ordem, nos impediram. Entretanto, quero prestar uma homenagem aos leitores do InfoRel, na figura da minha família, minha maior e mais importante conquista, embora muita gente importante tenha vergonha de reconhecer essa força e a sociedade em geral considere tal reconhecimento piegas. No meu caso, confesso que o InfoRel só existe graças à ela.

Nossa logo, por exemplo, foi desenhada pelo meu filho e melhor amigo, Gianlucca, que neste 15 de novembro, completa tenros 13 anos. Ele tem sido mais que um incentivador. Tem sido um menino brilhante, que respeita a tudo e a todos e que conserva a doçura de uma criança no auge da adolescência. Parabéns filhote e que você saiba sempre discernir o certo do errado e eu possa te ajudar nas difíceis escolhas da vida.

FáRech, minha esposa é quem não deixa o desânimo dominar o ambiente. Ela tem madrugado no computador para aprender a mexer no sistema, tratar as imagens usadas no sítio, enviar convites para que as pessoas conheçam o trabalho. É ela quem prepara uma mensagem de aniversário especial para cada leitor, e já temos mais de 1.300.

Portanto, quando você receber uma mensagem de boas-vindas ou um cartão de aniversário, saiba que isso não é automático. Tem alguém que acorda antes do dia nascer para lembrar que você nos é caro [a].

Também é ela quem pensa nas promoções que levam brindes e uma relação mais humana entre um veículo de comunicação e seus leitores. Agradeço a ela por esse esforço, por acreditar no projeto e por sua fé em que o InfoRel ainda será uma referência jornalística nas Relações Internacionais.

À pequena Giovanna, de 8 anos, eu agradeço por vestir literalmente a camisa do InfoRel, por saber o que é esse trabalho e por suas orações ao Anjinho da Guarda, para que nós possamos crescer sem nunca mudar, como fazem os políticos, me disse outro dia. Ela é nossa princesa e na ternura de sua infância, tenho o combustível para reagir diante dos dissabores diários.

Aos nossos colaboradores, àqueles que têm enviado seus artigos e análises, nossa gratidão pela confiança e por acreditarem que esse pode ser um instrumento importante na difusão dos temas complexos das Relações Internacionais. Sou consciente da importância desses textos para o enriquecimento do nosso conteúdo.

Completamos nosso primeiro ano e o único pedido que faço é que Deus abençoe esse projeto e que, enquanto tivermos forças e condições, possamos fazê-lo sem nos locupletarmos, por mais comum que isso seja.

Para fechar, um poema do uruguaio Eduardo Galeano, enviado pela grande amiga Yolanda, que também tem sensibilidade e sente o quanto o mundo é injusto e excludente.

“Tenemos la alegría de nuestras alegrías y también tenemos la alegría de nuestros dolores, porque no nos interesa la vida inodora que la civilización de consumo vende en los supermercados y estamos orgullosos del precio de tanto dolor que por tanto amor pagamos. Tenemos la alegría de nuestros errores, tropezones que muestran la pasión de andar y el amor al camino, tenemos la alegría de nuestras derrotas porque la lucha por la justicia y la belleza valen la pena también cuando se pierden. Y sobre todo tenemos la alegría de nuestras esperanzas en plena moda del desencanto, cuando el desencanto se ha convertido en un artículo de consumo masivo y universal. Nosotros seguimos creyendo en los asombrosos poderes del abrazo humano”

A todos o nosso forte abraço e um muito obrigado pleno de gratidão!

Marcelo Rech

Editor InfoRel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *