Brasília, 14 de novembro de 2018 - 05h54

Integrante das Farc no Brasil não vai à audiência

04 de setembro de 2008
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Francisco Antonio Cadena Collazos conhecido como Cura Camilo ou Padre Oliverio Medina, integrante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no Brasil, comunicou oficialmente à  Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, que não comparecerá à  audiência pública que pretende esclarecer os và­nculos do atual governo com a guerrilha.

Em carta endereçada ao deputado Marcondes Gadelha (PSB-PB), ele explicou que vai respeitar sua condição de refugiado polà­tico para não atender ao convite dos deputados. Segundo ele, trata-se ainda de se respeitar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de não extraditá-lo para a Colômbia.

Na prática, o STF sequer analisou o pedido de extradição feito pelo governo colombiano. Como o Conare decidiu acolhê-lo, o processo foi arquivado.

Há suspeitas de que ele mantenha contatos polà­ticos no Brasil em favor das Farc o que poderia ser suficiente para que ele perca a condição e tenha seu processo de extradição reaberto pelo Judiciário.

A carta foi entregue no dia 28 de agosto. Oliverio Medina vive no Brasil desde 1997. Em 2006, recebeu o status de refugiado polà­tico do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). Ele é casado com uma paranaense e tem uma filha brasileira.

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), quer saber como Medina atuou para aproximar as Farc do governo Lula. Ele seria o và­nculo entre os 85 e-mails trocados com o número 2 da guerrilha, Raúl Reyes, morto em março passado.

Carta

Brasà­lia, 28 de agosto de 2008.

Excelentà­ssimo Deputado Federal Marcondes Gadelha

Presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional

Câmara Federal (sic)

Gostaria de manifestar a V. Exa. que me honra escrever a presente, enviando minhas
saudações cordiais, respeitosas e junto aos augúrios por um desempenho pleno de êxitos em vossa missão de presidir a digna e prestigiada Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional dessa Magna Casa.

Com a vênia de V. Exa., descrevo, a seguir, de forma sucinta, o objetivo desta missiva: manifestar que recebi da emérita Comissão presidida por V. Exa., no último dia 26, um Convite para participar de uma Audiência Pública.

Gostaria de fazer a seguinte reflexão.

Para saber como agir, pedi luzes ao Altà­ssimo, dialoguei com familiares, amigas e amigos, cuja solidariedade me honra. Rememorei duas coisas. Uma, que o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), usando critérios técnicos, entendeu que havia fundado temor de perseguição em razão de minhas opiniões polà­ticas, o que impediria o retorno a meu paà­s, razão pela qual me concedeu o refúgio. E a outra, o julgamento de meu Processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), máxima instância do Poder Judiciário, fazendo brilhar a Justiça nessa Sessão Plenária, na qual nove dos dez Excelentà­ssimos Ministros presentes votaram pelo não-conhecimento de minha extradição e, julgando extinto o Processo, determinou a expedição do alvará de soltura, em 21 de março de 2007.

Então, levando em conta os fatos já mencionados e as circunstâncias em que me encontro, acudi confiante à  voz de minha consciência. Eis seu recado:
Continue honrando seu refúgio como até agora; ame os compromissos adquiridos como se fossem seus mandamentos. Aceite os deveres e direitos de refugiado, com modéstia e humildade. Seja respeitoso dos costumes, leis e normas que regem a vida do povo desse paà­s, cujo Estado abriu para você, como diz o Prêmio Nobel de Literatura, Gabriel Garcia Marquez, "uma segunda oportunidade sobre a terra". Continue reservado lendo, traduzindo, visitando as amizades, participando em atividades relacionadas com a cultura, a religiosidade, trabalhando a roça e, como um João de Barro, lute pelo sustento dos seus.

Excelentà­ssimo Deputado, sinto que devo obediência à  minha consciência, cujo altar é o foro à­ntimo de cada mulher e de cada homem. Portanto, com todo respeito, agradeço a oportunidade, mas, com a vênia de V. Exa. declino o Convite recebido. Gostaria que minha reflexão fosse acompanhada pela compreensão e a aquiescência dessa insigne Comissão.

Desde já, agradeço vossa atenção.

Francisco Antonio Cadena Collazos

(Refugiado Polà­tico)

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...