Opinião

Brasil e Bolívia constroem ponte da integração
20/07/2009
Israel: conflito com Irã na agenda brasileira
21/07/2009

Itaipu: Brasil aguarda resposta do Paraguai

Itaipu: Brasil aguarda resposta do Paraguai

O governo brasileiro aguarda uma resposta do Paraguai sobre a proposta apresentada na semana passada e que pode resultar num acordo sobre Itaipu.

Os presidentes Fernando Lugo e Luiz Inácio Lula da Silva, se reúnem no final desta semana, quando devem discutir os detalhes da proposta brasileira de aumentar para US$ 240 milhões anuais, o pagamento pela energia excedente adquirida por força do Tratado.

Além disso, o Brasil também acena com a possibilidade de permitir que a estatal paraguaia de energia, comercialize o produto diretamente no mercado nacional.

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que se o Paraguai aceitar, haverá um cronograma de implementação que deverá ser respeitado uma vez que as mudanças não serão imediatas.

Atualmente, o Paraguai vende parte da energia a que tem direito para a Eletrobras. Ao comercializar-la diretamente no mercado, o Paraguai poderá praticar preços mais elevados.

Essa possibilidade vinha sendo constantemente rechaçada pelo ministro de Minas e Energia, Édison Lobão, e pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.

Em depoimento na Câmara dos Deputados, no início do mês, Samek afirmou que os paraguaios interpretavam o Tratado de forma equivocada e que ao revender a energia livremente, estavam “revisando” o acordo de 1973.

Na opinião do ministro das Relações Exteriores, o Tratado não precisará passar por nenhuma revisão, mas a legislação interna brasileira terá de ser alterada.

Na sexta-feira, Amorim discutiu o assunto numa reunião com o ministro Lobão e o presidente Lula.

O Brasil trabalha para evitar que o Paraguai vá aos tribunais internacionais para defender mudanças no Tratado de Itaipu. Além disso, a proposta apresentada pretende evitar que o encontro entre os dois presidentes seja cancelado.

Além disso, o Itamaraty entende que as negociações não podem passar apenas pelo crivo dos técnicos. Neste sentido, o Brasil avalia o impacto político para o presidente Lugo que chegou a ser ameaçado de impeachment.

Celso Amorim explicou ainda que o Brasil mantém a proposta inicial de financiar uma linha de transmissão de energia elétrica entre Itaipu e Assunção, com recursos do BNDES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *