Relações Exteriores

Anac
17/03/2006
Comitê Internacional
17/03/2006

Programas Sociais

Jordânia quer ampliar parcerias com o Brasil

O príncipe da Jordânia, El Hassan Bin Talal, propôs uma maior aproximação entre o Oriente Médio e a América Latina, por meio dos programas sociais.

Ele acredita que os países das duas regiões têm realidades semelhantes e experiências positivas no enfretamento à pobreza, o que pode contribuir para o estreitamento das políticas públicas.

O príncipe da Jordânia está no Brasil para conhecer os programas sociais brasileiros. O atual governo aumentou de R$ 6 bilhões, em 2002, para R$ 21,2 bilhões, em 2006, o orçamento para a área social.

Já o diretor da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania do ministério do Desenvolvimento Social, Antônio Claret, detalhou os impactos do Bolsa Família, que atende 8,7 milhões de lares pobres.

De acordo com pesquisa do governo, 87,8% dos atendidos pelo programa de transferência de renda afirmaram que suas condições de vida melhoraram depois da inclusão no Bolsa Família.

A Jordânia possui um Produto Interno Bruto [PIB] de US$ 27 bilhões, mas 30% de sua população vive abaixo da linha da pobreza. A taxa de desemprego oficial é de 15%.

Destes, pelo menos 60% têm menos de 25 anos. A expectativa de vida para a região é de 78,24 anos e o analfabetismo, 8,7%. Segundo as Nações Unidas, a Jordânia ocupa o 90º lugar em desenvolvimento humano [o Brasil é o 63º].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *