Brasília, 01 de outubro de 2020 - 12h30
Lacalle Pou gestionará Hidrovia do Rio Uruguai com Argentina e Brasil

Lacalle Pou gestionará Hidrovia do Rio Uruguai com Argentina e Brasil

30 de junho de 2020 - 09:02:43
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, gestionará a construção da Hidrovia do Rio Uruguai com os presidentes da Argentina, Alberto Fernández, e do Brasil, Jair Bolsonaro. A informação é do presidente da Comissão Técnica Mista de Salto Grande, Carlos Albisu. A obra tem um custo estimado de US$ 181 milhões e seria financiada por empresas privadas.

Lacalle Pou trabalha para organizar reuniões com os colegas da Argentina e Brasil com o objetivo de lançar um projeto que permita a navegação do Rio Uruguai a cerca de 500 quilômetros ao norte da Barragem de Salto Grande, conforme relatado por Carlos Albisu.

De acordo com o funcionário, Lacalle Pou conversou no dia 11 de junho, por telefone, com Alberto Fernández que, segundo explicou, transmitiu o seu endosso e intenção de realizar a obra e viabilizar a hidrovia. Albisu também revelou que, no dia 19 de junho, a Comissão Técnica Mista realizou uma reunião com o governador de Entre Ríos, Gustavo Bordet, que também está “muito comprometido" com o projeto.

"Ele sabe que Entre Ríos e a costa uruguaia mudarão suas vidas com relação a esse grande projeto”, afirmou Albisu. Ainda segundo ele, "quando a pandemia permitir, Lacalle Pou e Fernández poderão se reunir para avançar sobre esse tópico. Depois, o presidente pretende dar um passo mais ao conversar com o governo do Brasil, com Bolsonaro ", afirmou.

Albisu observou que a primeira reunião sobre o assunto se deu em 13 de março e contou com a presença de autoridades do Rio Grande do Sul, que manifestaram a intenção de começar a retirar cargas da área através dos portos uruguaios.

"Devido a um problema logístico, leva-se duas semanas para transportar uma carga até Porto Alegre, com filas de até 80 quilômetros de caminhões no porto. Por isso, vêm com otimismo uma via navegável do Rio Uruguai, que também apresenta possibilidades de redução de custos e melhora da logística, levando grande parte da mercadoria, que é principalmente madeira, mas também grãos", acrescentou.

O projeto seria desenvolvido a partir da eclusa de navegação da barragem de Salto Gado que, há 41 anos está praticamente parada. "Precisamos concluir esse trabalho e também modernizar as instalações de Salto Chico, Corralito e El Enxame", concluiu.