Brasília, 20 de março de 2019 - 13h30

Força Aérea Brasileira

23 de novembro de 2004 - 08:21:00
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o único que pode decidir se a licitação para a compra de aviões supersônicos para a Força Aérea Brasileira, sai este ano ou não.

Conforme já informamos, no primeiro ano do seu governo, Lula adiou a decisão adotando um discurso demagógico, de que os recursos – cerca de US$ 700 milhões – seriam utilizados no programa Fome Zero. É que os recursos não saà­riam do Orçamento, mas de financiamentos externos, contraà­dos pela empresa vencedora.

Em 2004, o programa não foi cancelado e muito menos adiado, mas não houve qualquer decisão. O ex-ministro da Defesa, José Viegas, defendia uma decisão rápida, mas caiu antes de concretizar seu sonho.

Agora, o vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, acha melhor adiar essa decisão por até quatro anos. Apesar dos Mirages saà­rem de cena no inà­cio do ano que vem, Alencar acredita que seria precipitação decidir agora. Ele entende que os aviões adquiridos não serão entregues imediatamente e que o Brasil poderá receber aviões ultrapassados.

O ministro da Defesa afirmou que essa é uma tecnologia que avança muito rápido. Entretanto, fez questão de deixar claro que a decisão será do presidente. Se depender do ministro, o governo pode esperar até quatro anos para se decidir.

Durante o encontro com o presidente russo, Vladimir Putin, o assunto foi tratado. Putin defendeu sutilmente a compra do Sukhoi, mas Lula deu de ombros. Talvez, por não ter conseguido derrubar o embargo russo à  carne brasileira.