Relações Exteriores

Oriente Médio: Amorim rebate críticas
27/07/2010
Discurso do presidente Lula por ocasião da visita
28/07/2010

Lula e Daniel Ortega condenam golpe de Estado em H

Lula e Daniel Ortega condenam golpe de Estado em Honduras

Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, do Brasil, e Daniel Ortega, da Nicarágua, reafirmaram nesta quarta-feira, em Brasília, que a crise política em Honduras é resultado de um golpe de Estado que não pode servir de exemplo para novas aventuras antidemocráticas.

Ambos condicionam o reingresso de Honduras à Organização dos Estados Americanos (OEA) à retirada de todos os processos contra o presidente deposto, Manuel Zelaya.

Honduras foi um dos principais temas da agenda dos dois presidentes, que também reafirmaram a preocupação com a postura dos demais países da América Central em relação ao tema.

Recentemente, uma comissão da OEA esteve no país e deve apresentar um informe à Assembléia Geral da entidade. Honduras precisa do voto de 22 dos 33 países membros para ter o seu pedido de reingresso aceito.

Brasil e Venezuela não aceitaram integrar a comissão que foi a Honduras avaliar o estado dos direitos humanos após a posse do presidente Porfírio Lobo.

Durante o encontro com Daniel Ortega, Lula cobrou mais presença da Organização das Nações Unidas (ONU) na América Central.

Segundo ele, “a ONU deve interessar-se mais pelas transformações em curso na nossa região, onde florescem projetos democráticos para a incorporação de maiorias historicamente excluídas. Ela própria deve reformar-se com vistas a superar flagrante desequilíbrio na representação entre Estados em seu Conselho”, afirmou.

Parceria

Luiz Inácio Lula da Silva, que é amigo antigo do líder sandinista, defendeu o aumento das importações de produtos nicaragüenses para o Brasil como forma de equilibrar a balança comercial entre os dois países.

Ele também destacou a importância de um acordo entre o Mercado Comum do Sul e o Sistema de Integração Centro-Americana (Sica). Em agosto, Lula assume a presidência rotativa do Mercosul e pretende impulsionar as negociações.

Daniel Ortega aproveitou para elogiar o papel do Brasil na questão do Irã. De acordo com o nicaragüense, o país contribuiu para evitar um conflito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *