Brasília, 10 de dezembro de 2018 - 01h15
Mais de 10 mil medidas protecionistas em todo o mundo desde 2008

Mais de 10 mil medidas protecionistas em todo o mundo desde 2008

19 de maro de 2018
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Marcelo Rech, especial de Madri -

No dia 8 de março, o mundo todo reagiu ao anúncio do presidente norte-americano, Donald Trump, de que iria impor tarifas de 25% para as importações de aço e 10% para o alumínio, como forma de proteger o mercado dos Estados Unidos. No entanto, trata-se de uma medida a mais entre as 10.035 aprovadas em todo o mundo desde 2008 como resposta à crise.

Os números são do think tank Global Trade Alert, um centro de estudos independente que nasceu em 2009 ao se perceber que a crise levaria os países a adotarem políticas parecidas com aquelas implementadas nos anos 30, apesar de os países do G-20 terem assegurado em 2008, em Washington, que não haveria mais protecionismo.

No mesmo período, foram aprovadas apenas 3.544 normas liberalizadoras. Para a Global Trade Alert, a crise reavivou com força os nacionalismos político e econômico. Do total de 10.035 medidas protecionistas, 16,2% se referem à importação de produtos; 15,2% à indústria financeira; 12,5% contra o dumping; e 6,8% consiste em subsídios dos Estados Unidos.

Aliás, os Estados Unidos lideram o ranking com 1.435 medidas protecionistas emitidas no período pesquisado, seguido pela Alemanha com 854; Índia com 797; Rússia com 597; Argentina com 521; Brasil com 465; Reino Unido com 400; Japão com 398; Itália com 344; China com 313; França com 310; Indonésia com 303; logo Suíça com 291; Polônia com 284; e Espanha com 268.

Na Europa, as reações contra o anúncio de Trump têm sido extremamente duras. No entanto, a União Europeia tem tratado de proteger o seu setor siderúrgico frente à concorrência com a China. Nas eleições de 2012, na França, os quatro principais candidatos à presidência defenderam medidas protecionistas. No ano passado, essa situação se manteve.

A percepção geral dos analistas europeus é que essas medidas provocarão sérios danos à economia mundial, especialmente para os países mais pobres e as nações emergentes. Além disso, os países que tendem a proteger mais, são igualmente afetados, pois aumentam os custos para os seus cidadãos e não se traduzem em mais empregos.

O ministro espanhol de Economia, Román Escolano, afirmou que a União Europeia deve reagir unida frente as medidas anunciadas por Donald Trump. Na sua avaliação, “o protecionismo é sempre um erro e os Estados Unidos com a União Europeia não podem entrar em uma guerra comercial”.

Escolano que acaba de assumir o cargo, explicou ainda que a Espanha sempre defendeu o livre comércio e que apoia todos os esforços para que a Comissão Europeia firme o TLC que é negociado com o MERCOSUL desde 1999.

Assuntos estratégicos

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...