Defesa

FX2: Lula se esquiva de lobby sueco
08/10/2009
Minustah: um novo paradigma nas operações de paz
08/10/2009

Marinha terá Navio-Patrulha de 500 Toneladas

Marinha terá Navio-Patrulha de 500 Toneladas

A Marinha do Brasil, através da Diretoria de Engenharia Naval, assinou no dia 25 de setembro, contrato para a construção de quatro Navios-Patrulha de 500 toneladas com o EISA – Estaleiro Ilha S/A, na cidade do Rio de Janeiro.

De acordo com a força, os navios serão utilizados no patrulhamento das águas jurisdicionais brasileiras, devendo executar diversas tarefas de vigilância e defesa do litoral, de áreas marítimas costeiras e das plataformas de exploração de petróleo no mar e contribuir para defesa de porto.

Além disso, os navios-patrulha ficarão responsáveis pela fiscalização e resguardo dos recursos do mar territorial, zona contígua e zona econômica exclusiva (ZEE), de repressão às atividades ilícitas (pesca ilegal, contrabando, narcotráfico e poluição do meio ambiente marinho).

Também irão contribuir para a segurança das instalações costeiras e das plataformas marítimas contra ações de sabotagem e realizar operações de busca e salvamento na área de responsabilidade do Brasil.

A Marinha informou que a decisão pela construção em estaleiro privado nacional se coaduna com a política governamental de incentivo à construção naval e de geração de empregos, bem como da necessidade estratégica da capacitação e fortalecimento do parque industrial de tecnologia militar.

A Estratégia Nacional de Defesa prevê a construção de 27 navios, dois dos quais se encontram em construção no estaleiro Indústria Naval do Ceará S/A – INACE, a partir de um projeto desenvolvido pela empresa francesa “Constructions Mécaniques de Normandie”.

O primeiro navio em construção no INACE, o NPa “Macaé, deverá ser entregue e incorporado à ARMADA em 9 de dezembro deste ano e o contrato com o estaleiro EISA tem duração total de quatro anos, sendo que o primeiro navio está com sua entrega prevista para março de 2012 e os demais em seqüência, um a cada seis meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *