Mundo

Geopolítica
31/01/2017
Comércio Exterior
02/02/2017

Política

Marrocos retorna à União Africana após 33 anos

Brasília – O Reino do Marrocos retornou oficialmente à União Africana após 33 anos de ausência com o voto de 39 dos seus 54 membros. Em seu discurso, o Rei Mohammed VI afirmou que “a saída da União Africana foi necessária, pois permitiu que as ações do Marrocos se centrassem no Continente, mostrando o quão indispensável é a África para o Marrocos, assim como o Marrocos para a África”.

Em julho de 2016, o monarca enviou uma carta ao então máximo dirigente da organização, Idriss Déby, confirmando a intenção marroquina de retornar à entidade. Na mensagem, Mohammed VI reconheceu o mal estar com o ingresso da República Árabe Saharaui Democrática, na União Africana, em 1984. “Esse pretendido Estado não é membro da ONU, da Organização de Cooperação Islâmica, da Liga Árabe e nem de qualquer outra instituição regional ou internacional”, afirmou.

Nesta terça-feira, 31, Mohammed VI fez questão de esclarecer que o Marrocos deixou a União Africana, mas não abandonou o Continente. Exemplificou em seu pronunciamento que entre 1956 e 1999, 515 acordos foram firmados com países africanos e que desde o ano 2000, já foram 949, quase o dobro.

“Durante esses anos, aportei pessoalmente um impulso concreto a essas ações, multiplicando as visitas às diferentes sub-regiões da África. Foram 46 visitas a 25 países onde assinamos numerosos acordos tanto no setor público como no setor privado”, destacou.

Ele também aproveitou a oportunidade para enfatizar a importância dos projetos estratégicos que estão sendo implementados na região como o gasoduto África Atlântico, em parceria com a Nigéria, e que permitirá o transporte de gás dos países produtores na África até a Europa.

“Este projeto contribuirá para a estruturação de um mercado regional de eletricidade, constituindo-se em uma fonte substancial de energia a serviço do desenvolvimento industrial, melhorando a competitividade econômica e acelerando o desenvolvimento social”, explicou.

Íntegra do discurso do Rey Mohammed VI na Cúpula da União Africana em Adis Abeba: http://www.inforel.org/noticias/noticiasEspanhol.php?tipo=2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *