Brasil

EUROLAT
30/05/2017
Comércio Exterior
30/05/2017

Comércio Exterior

Mecanismo de Coordenação Política Brasil – Argentina discute agenda bilateral

Brasília – O Secretário-Geral das Relações Exteriores, Embaixador Marcos Galvão, conduzirá, juntamente com seu homólogo argentino, Embaixador Pedro Villagra, a I Reunião do Mecanismo de Coordenação Política Brasil – Argentina, a realizar-se no Palácio Itamaraty, em Brasília, nesta terça-feira, 30.

O Mecanismo de Coordenação Política Brasil – Argentina foi criado em maio de 2016, por meio de Memorando de Entendimento bilateral e deverá conferir contornos formais e regularidade às reuniões de coordenação de alto nível entre as duas chancelarias. Para Brasil e Argentina, trata-se de relevante instrumento de aprofundamento da concertação entre os dois países.

Em nota, o Itamaraty informou que “a I Reunião do Mecanismo de Coordenação Política será oportunidade para que os vice-chanceleres passem em revista os principais temas da ampla agenda política e econômica bilateral, regional e multilateral. Em particular, o encontro proporcionará ocasião para reflexão conjunta sobre medidas destinadas a revigorar o MERCOSUL nos planos interno e externo, em contexto de sucessão entre a atual presidência pro tempore argentina do bloco e a futura presidência brasileira, a partir do segundo semestre”.

O ministério das Relações Exteriores destacou ainda que a  Argentina foi destino da primeira visita bilateral do presidente Michel Temer, em outubro, e de numerosas missões bilaterais de nível ministerial. O presidente Macri visitou Brasília em fevereiro de 2017, ocasião em que foram adotados o Plano de Ação e Declaração Conjunta Presidencial, documentos que traçaram roteiro para o aprofundamento da relação em áreas prioritárias.

Atualmente, o Brasil é o principal destino das exportações argentinas e o principal fornecedor de produtos para o país vizinho. Em 2016, o intercâmbio bilateral somou mais de US$ 22 bilhões. Nesse período, a Argentina foi o terceiro maior parceiro comercial do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *