Militares no Poder e militarização do Governo

Os meios de comunicação que perderam o protagonismo e a capacidade de influir nas decisões políticas do país, agora se voltam para a quantidade de militares que integram os escalões superiores do atual governo com a ideia simples de ignorar que houve um processo eleitoral que os respalda e carregar nas tintas quanto à “militarização do Governo”.

Os militares deixaram claro ao país que, após tantos desmandos, era preciso chamar a responsabilidade. As elites se omitiram e os partidos políticos perderam a quase nula credibilidade que possuíam. Os militares, atuando dentro das regras democráticas, se submeteram à sociedade e receberam dela, o voto de confiança necessário para restaurar a ordem.

Por outro lado, não receberam um cheque em branco. O PSL, partido do presidente, não é um partido de base. A eleição foi baseada na necessidade de mudar completamente a situação. Jair Bolsonaro recebeu este aval. Os militares sustentaram essa posição. Mas, não são infalíveis. São homens e mulheres igualmente suscetíveis ao meio, que padecem das mesmas angústias e ambições que qualquer um.

Os militares no Poder colocam as Forças Armadas em uma situação de risco: se falharem, se permitirem a promiscuidade nas relações políticas, entre o público e o privado e se deixarem deslumbrar, cairá talvez o último bastião de confiança dos brasileiros éticos e honestos.

Marcelo Rech – 22/01/2019

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *