Defesa

UNASUL condena tentativa de golpe no Equador
01/10/2010
Declaração de Quito sobre a situação no Equador
05/10/2010

Ministro da Defesa defende América do Sul dissuasó

Ministro da Defesa defende América do Sul dissuasória

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu a adoção de um novo patamar para a defesa do Brasil e dos vizinhos: a adoção de uma estratégia sub-continental de dissuasão.

A idéia foi anunciada durante pronunciamento em cerimônia de lançamento do livro “Segurança Internacional: Perspectivas Brasileiras”, ocorrida nesta quarta-feira, 29.

Nelson Jobim lembrou que a estratégia de defesa brasileira é de dissuasão.

Mas não de dissuasão contra os demais países da América do Sul.

Para os países sul-americanos, segundo Jobim, “a estratégia brasileira não é dissuasória, é de cooperação”.

Na sua avaliação, a maior prova disso está na implantação da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) e do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS).

“Por que temos essa preocupação? Porque a América do Sul é a maior produtora de grãos, a América do Sul é a maior produtora de proteína animal, a América do Sul tem os maiores depósitos de energias não renováveis e renováveis e os maiores depósitos de água potável do mundo – o aqüífero guarani e a Amazônia”, afirmou.

Segundo o ministro da Defesa, essa riqueza constitui um conjunto de situações que levam os países a uma integração de seus interesses.

Livro contempla visões de “todas as tribos”

 

Lançado em Brasília, o livro “Segurança Internacional: Perspectivas Brasileiras” apresenta 39 artigos representativos da diversidade do pensamento estratégico do país.

 

O ministro da Defesa destacou o caráter plural da obra, que, segundo ele, reproduz as visões de “todas as tribos” que refletem sobre os temas da defesa.

 

Ainda, segundo Jobim, a obra contribui para tornar a defesa um tema da agenda nacional, preocupação de toda a sociedade brasileira, e não apenas do segmento militar.

 

Na sua opinião, a publicação é multiacadêmica, plural, e integra pensamentos que se contradizem. Tal diversidade, acrescentou, permite uma “meditação real, não direcionada, de interesse do Estado”.

 

O livro é resultado de um inédito ciclo de seminários realizado entre março e junho deste ano no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília com patrocínio do Ministério da Defesa, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, Fundação Armando Álvares Penteado, FIESP, Comando do Exército e Comando da Marinha.

 

A publicação será lançada também no dia 6 de outubro, às 18h30, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo (Avenida Paulista, 2073). No dia 7 de outubro, quinta-feira, será a vez do lançamento no Rio de Janeiro, na sede da Fundação Getúlio Vargas (Praia do Botafogo 190, 12º andar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *