Brasília, 10 de dezembro de 2018 - 08h03

Diplomacia e Defesa

11 de novembro de 2015
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Brasília – O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, participou nesta quarta-feira, 11, da abertura da II Jornada de Estudos Estratégicos promovida pela Chefia de Assuntos Estratégicos do MD. Na oportunidade, ele afirmou que os temas indígena, de meio ambiente e direitos humanos devem ser considerados no contexto geopolítico. Ele também reforçou o discurso em defesa das Forças Armadas e da valorização da agenda da Defesa Nacional.



De acordo com Rebelo, só em 1996 houve a unificação das comissões de Relações Exteriores e de Defesa Nacional em uma única comissão nas duas Casas do Poder Legislativo, o que foi determinante para fomentar o debate em torno dos temas internacionais, estratégicos e de Defesa, todos intimamente ligados. 



“Desde, então, houve um esforço de todos os governos no sentido de produzir um pensamento que fundamentasse a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional”, explicou. Ainda segundo ele, os documentos norteiam a doutrina e as práticas de Defesa, porém carecem periodicamente da atualização, levando em consideração as conjunturas e realidades nacional e internacional.



O evento, que acontece até esta quinta-feira, 12, tem como tema central “A Tranversalidade da Política Nacional de Defesa" e visa colher subsídios para a revisão dos três principais documentos da Defesa. Para tanto, são estimuladas a integração dos atores governamentais com a academia na contribuição para a conscientização da sociedade brasileira em prol do assunto.



Para o ministro, as revisões dos três documentos, previstas para 2016, já contêm as linhas gerais e ações que estruturam a política e a estratégia de Defesa. “O debate deve se encarregar de apontar onde e de que forma essa atualização precisa ser feita”, completou. Ele acredita que os novos documentos devam ser entregues à apreciação do Congresso Nacional entre junho e julho do próximo ano.



O ministro destacou ainda a importância da Diplomacia de Defesa, como os acordos de cooperação, e uma interação maior com os vizinhos da América do Sul, da África Ocidental e com os países da Comunidade de Língua Portuguesa, com os membros do BRICS (Brasil Rússia, Índia, China e África do Sul), além “do nosso vizinho mais poderoso e um dos mais importantes, os Estados Unidos, com quem devemos cultivar relações próximas de cooperação, mantendo sempre a nossa soberania e independência”.



Os projetos desenvolvidos com parceiros, como o míssil A-Darter, com a África do Sul, e o Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS), com a China, foram alguns exemplos de programas de cooperação que estão dando certo e que mereceram a atenção do ministro.



Ele enfatizou ainda que a segurança alimentar e as infraestruturas estratégicas que integram o país, como as estradas, ferrovias, hidrovias e aeroportos, são condições fundamentais e capazes de dar suporte à política de defesa, e que os atores públicos e a sociedade são essenciais para o planejamento da Defesa Nacional. “Não podem existir Forças Armadas aptas com um Estado frágil”, concluiu.



O chefe de Assuntos Estratégicos, general Gerson Menandro Garcia de Freitas, disse que o evento serve para “pensar a Defesa Nacional” e com documentos coerentes e atualizados com a realidade. Ele lembrou que os documentos vão para a sua quarta edição, com uma base muito sólida, porém necessitam de revisões para acompanhar as transformações do mundo, que ocorrem de forma cada vez mais rápida.



Sobre a Diplomacia de Defesa, Menandro destacou que o Brasil possui hoje, 180 adidos militares em 56 países, mais conselheiros militares nas Nações Unidas em Genebra e Nova Iorque. Além disso, mantém presença com tropas e/ou observadores em onze forças de paz da ONU e integrantes na Junta Interamericana de Defesa (JID), no Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS), na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Zopacas, União Africana e na Organização Marítima Internacional (IMO). 


Assuntos estratégicos

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...