Brasília, 23 de maio de 2019 - 21h07
Ministro destaca importância estratégica da Ciência e Tecnologia para o Brasil

Ministro destaca importância estratégica da Ciência e Tecnologia para o Brasil

03 de janeiro de 2019 - 17:16:35
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - Marcos Pontes assumiu nesta quarta-feira, 2, o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e deu uma diretriz clara: a partir de agora, a missão é fazer com que a Ciência e a Tecnologia sejam propulsoras da melhora da qualidade de vida da população e do desenvolvimento do país.

“A nossa responsabilidade à frente do ministério é ajudar a construir um país melhor. A tecnologia é transversal, está em todos os lugares, está na qualidade de vida das pessoas. Ela funciona como a ponta de lança do desenvolvimento, e nós somos os responsáveis por torná-la uma melhor ferramenta para o sucesso do país”, afirmou.

Em seu discurso de posse, ele ressaltou o diálogo com o Congresso Nacional e a sociedade para mostrar a importância da ciência para o Brasil. “Acho importante que percebam a importância estratégica da Ciência e Tecnologia e nos ajudem a conduzir esses trabalhos, a ter o orçamento adequado para que a Ciência e Tecnologia deem a sua contribuição. Educação, ciência e tecnologia são estratégicas para mudar o país, para que alcancemos o patamar que sonhamos para o Brasil”, explicou.

Pontes defendeu ainda a adoção de modelos de investimentos em inovação adequados a cada região do país e afirmou que é preciso respeitar as características e vocações locais para fomentar o desenvolvimento tecnológico e a inovação. Dessa maneira, o investimento privado em pesquisa também será ampliado.

“Queremos construir um modelo que a gente possa replicar em vários locais do país e que possa ser adaptado de acordo com a vocação local. O Brasil é muito grande, com vocações diferentes, e isso vai motivar as empresas a investirem nessas regiões, desenvolvendo tecnologias que sejam interessantes para elas nessas áreas”, assinalou.

O ministro reconheceu também que a expansão do acesso à internet banda larga é um dos desafios de sua gestão. “Temos um país muito grande, com regiões remotas e que precisam dessa tecnologia. Levar banda larga é importante para as escolas, para as famílias e para trazer as pessoas para o dia atual, em termos de tecnologia."

O astronauta Marcos Pontes nasceu na cidade paulista de Bauru em 11 de março de 1963. É engenheiro aeronáutico, formado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), mestre em engenharia de sistemas e piloto de testes de aviões com mais de 2 mil horas de voo em 25 tipos de aeronaves, incluindo F-15 Eagle, F-16 Falcon, F-18 Hornet e Mig-29 Fulcrum.

Membro da turma de 1998 de astronautas da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa), Marcos Pontes é o único brasileiro a ter ido ao espaço. Ele também é o primeiro astronauta profissional a representar oficialmente um país do hemisfério sul no espaço.

Pontes realizou a Missão Centenário, em 2006, fruto de uma parceria entre a Agência Espacial Brasileira (AEB0 e a Agência Espacial Russa (Roscosmos), trabalhando por dez dias na Estação Espacial Internacional (ISS) como especialista de missão, responsável pela manutenção dos sistemas da espaçonave e pela execução de pesquisas científicas escolhidas pela Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Tem vasta experiência como gerente de projetos e gestor de programas, trabalhando em ações internacionais relevantes no setor aeroespacial em instituições como a Nasa, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (Jaxa), a Agência Espacial Europeia (Esa) e a empresa Boeing. Possui mais de 30 anos de experiência em gerenciamento de riscos e segurança operacional.

Com formação acadêmica e militar expressiva, Pontes é bacharel em administração pública e atua ainda como embaixador da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), atuando principalmente em programas de desenvolvimento sustentável.