Brasília, 10 de dezembro de 2018 - 23h30

Ciência & Tecnologia

05 de junho de 2012
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Brasília - O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, defendeu a cooperação entre o Programa Espacial e as Forças Armadas, em seminário promovido pelos partidos de esquerda para discutir o Projeto Nacional de Desenvolvimento.



Segundo ele, "os últimos governos têm apoiado decisivamente a questão das pesquisas e do desenvolvimento tecnológico das Forças Armadas. Nós financiamos R$ 1,5 bilhão nos últimos anos", destacou.



O ministro voltou a afirmar que é necessária uma maior integração entre as instituições que compõem o sistema espacial no país e que é preciso transformar a gestão do programa para avançar.



Para Marco Antonio Raupp, "existem algumas transformações na maneira de operacionalizar que são fundamentais, e uma delas é o protagonismo das empresas brasileiras", concluiu.



Ele revelou ainda o cronograma de lançamentos de satélites com início neste ano, visando à autonomia espacial do país.



Na programação estão: o CBers 3 (2012), Itasat e Ibas (2013), CBers 4, Amazônia 1 e Geo Com (2014), Amazônia 1B (2015). "A presidente Dilma quer que o satélite Geo Com [geoestacionário] esteja no ar em 2014, e nós vamos trabalhar com esta meta", explicou.



De acordo com o MCTI, o desenvolvimento de um satélite geoestacionário pelo Brasil integra o Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae) com o objetivo de atender as necessidades do país nas áreas de comunicações seguras, meteorologia, controle de tráfego aéreo e defesa nacional.



"Temos uma proposta de que a partir da experiência do satélite geoestacionário forme-se uma comissão, de nível maior, que acompanhe a disponibilidade de recursos para esta área, dado o caráter estratégico, já que a questão da tecnologia das Forças Armadas é vital no que se refere a uma política de ciência e tecnologia no país", explicou.



CBERS



Cumprir os prazos do programa sino-brasileiro de satélites CBers e adotar uma política industrial para a qualificação de fornecedores e difusão de novas tecnologias são alguns dos principais desafios apontados por Leonel Perondi, novo diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).



Em seu discurso de posse, Perondi destacou as atividades do Inpe, que tem como missão "ser referência nacional em ciência e tecnologia espaciais e suas aplicações, maximizando retornos diretos à sociedade na forma de produtos e serviços, política industrial e difusão de conhecimentos".



O novo diretor vai ampliar os programas de pesquisa e desenvolvimento, revigorar a infraestrutura do programa espacial e apoiar as áreas de clima espacial, mudanças climáticas e previsão do tempo.



A articulação com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais e a capacitação em controle de atitude e órbita de satélites também foram destacadas.

Assuntos estratégicos

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

O Senado do Paraguai postergou para março de 2019 a análise de três projetos de...
Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Na última terça-feira, 4, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o ministro...
Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...