Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Relações Exteriores
Brasil retira candidatura e Paraguai elege juiz para o Tribunal Internacional do Direito do Mar
21/06/2017 - 18h37

Brasília - O Brasil retirou em cima da hora a candidatura do advogado especialista em direito do Mar, Rodrigo Fernandes More, professor do Instituto do Mar da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do curso de Pós-graduação em Direito Marítimo. More estava em Nova York em campanha quando o governo brasileiro decidiu apoiar a candidatura do vice-ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Oscar Cabello Sarubbi.

O ex-ministro José Serra havia negociado o posto para o Paraguai por razões políticas. Em 10 de março, o chanceler Aloysio Nunes Ferreira bancou o nome de More, mas os compromissos políticos assumidos anteriormente com o país vizinho falaram mais alto e o advogado brasileiro foi informado que não teria o apoio do Brasil na reta final da campanha.

Para o Paraguai, a conquista é histórica uma vez que o país não tem mar e integra o grupo de nações sem litoral que pela primeira vez participaram da 27° Reunião de Estados Parte da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (Convemar). No total, oito juízes foram eleitos.

Na avaliação do ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, “trata-se de uma conquista da política externa paraguaia que terá impacto direto na reinserção do país na comunidade internacional”.

Foram necessárias quatro votações para que a eleição fosse completada. O Brasil retirou o nome de Rodrigo More na segunda votação. Na terceira, a Costa Rica também retirou o seu candidato, restando apenas o Paraguai para representar a América Latina. Loizaga destacou que 161 países de um total de 165 votaram no candidato paraguaio.

O governo paraguaio também revelou que o país obteve êxito nas 12 candidaturas apresentadas durante a atual gestão para integrar organismos internacionais.