Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Agenda
Chanceleres do MERCOSUL se reúnem em março em Buenos Aires
14/02/2017 - 14h49

Brasília - Os ministros de Relações Exteriores dos países que integram o MERCOSUL se reunirão no dia 9 de março em Buenos Aires, para tratar de uma maior abertura comercial do bloco. O encontro foi convocado pela Argentina que responde pela presidência pro tempore do MERCOSUL.

De acordo com a chancelaria argentina, estão confirmadas as presenças de Susana Malcorra, José Serra, Rodolfo Nin Novoa e Eladio Loizaga, respectivamente chanceleres da Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai. Suspensa, a Venezuela não foi convidada para a reunião. A ministra de Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, ainda não confirmou se tentará participar como ocorreu em janeiro em outro encontro de ministros realizado em Buenos Aires.

Esta reunião é resultado do encontro mantido no último dia 7, entre os presidentes Mauricio Macri, da Argentina, e Michel Temer, do Brasil. Na oportunidade, eles concordaram em avançar na eliminação das barreiras tarifárias que persistem entre os dois países e no âmbito do MERCOSUL, além de buscar uma maior aproximação com o México.

Na avaliação dos dois presidentes, com as medidas anunciadas pelo presidente norte-americano Donald Trump, o México terá de olhar para a América Latina, em especial a América do Sul, com mais decisão. Na mesma direção, o MERCOSUL pretende fortalecer suas relações com a Aliança do Pacífico, integrada por Chile, Colômbia, Peru e México.

No encontro de março, os chanceleres pretendem avaliar o estado das negociações entre o MERCOSUL e a União Europeia, que se reúnem em nível técnico nos dias 13 e 14 de fevereiro, em Bruxelas. A ideia é firmar o acordo de livre comércio em 2017 quando o bloco será presidido por Argentina e Brasil (a partir de julho).

O chanceler uruguaio Rodolfo Nin Novoa, revelou que nesta reunião se decidirá por uma agenda mais robusta com a Aliança do Pacífico e se definirá uma data para que os ministros de Relações Exteriores dos dos blocos se reúnam com a maior brevidade possível.

“O Uruguai está muito preocupado por esta dinâmica tão competitiva que há no comércio, onde os países que são competidores nossos têm melhores facilidades para acessar a alguns mercados importantes”, afirmou Novoa. Ele disse ainda que as negociações com a União Europeia fizeram parte dos diálogos mantidos pelo presidente Tabaré Vázquez com a chanceler alemã, Angela Merkel, na semana passada em Berlim.