Para imprimir é necessário habilitar o pop-up Enviar a notícia por e-mail
Aumenta a fonte 
Aumenta a fonte 
Agenda
CEPAL realizará 29º Seminário Regional de Política Fiscal
21/03/2017 - 15h11

Brasília - Enquanto o governo brasileiro tenta acelerar a tramitação das reformas para promover um ajuste fiscal em suas contas, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), realizará nos dias 23 e 24 deste mês o já tradicional Seminário Regional de Política Fiscal, em Santiago, no Chile. Estão convocados ministros e subsecretários de Fazenda dos países da região.

Há 29 anos esta reunião é realizada pela CEPAL e se transformou em uma referência para o debate fiscal entre as autoridades monetárias, formuladores de políticas, economistas e acadêmicos da América Latina e do Caribe. O evento conta com o apoio do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Além disso, nesta edição também participarão a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e o ministério das Relações Exteriores da Noruega.

O seminário será aberto no dia 23 pela Secretária-Geral da CEPAL, Alícia Bárcenas; a Embaixadora da Noruega no Chile, Beate Stirø; o Embaixador da Alemanha em Santiago, Rolf Schulze; e o Subsecretário da Fazenda, também do Chile,  Alejandro Micco. Autoridades da  Argentina, Bolívia, Brasil, Costa Rica, Honduras e Uruguai, estão confirmadas.  

De acordo com a CEPAL, os participantes irão debater acerca da política fiscal na atual conjuntura regional, a política tributária na América Latina, a destinação de recursos públicos e o financiamento da educação, além de avaliarem as disparidades territoriais e a provisão de bens públicos.

A CEPAL aproveitará a ocasião para apresentar o documento “Panorama Fiscal da América Latina e Caribe 2017: a mobilização de recursos para o financiamento sustentável”, bem como o informe “Estatísticas Tributárias da América Latina e o Caribe”, elaborado em conjunto com a OCDE, BID e o Centro Interamericano de Administrações Tributárias.