Defesa

Comércio Exterior
12/12/2015
Meio Ambiente
14/12/2015

Estado Maior Conjunto

Novo chefe do EMCFA assume com foco nos Jogos Olímpicos 2016

Brasília – O novo chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), Almirante Ademir Sobrinho, assumiu o cargo na última terça-feira, 8, no lugar do general José Carlos De Nardi, que permaneceu no posto por cinco anos. Ele já deixou claro que o foco do EMCFA serão as ações de Defesa para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do próximo ano. O almirante destacou que o planejamento para o enfrentamento ao Terrorismo e Contraterrorismo já foi finalizado, e que os treinamentos conjuntos seguem para que a atuação das Forças esteja coordenada nos eventos.

Na cerimônia de posse, o ministro da Defesa, Aldo Rebelo destacou a sua “capacidade profissional, por seus atributos de brilhantismo ao desempenhar tarefas como a chefia do Departamento de Armamento da Fragata Independência, o comando do Navio-Patrulha Fluvial Rondônia, a adidância naval na Itália e o comando da Flotilha do Amazonas”.

Rebelo ainda destacou os desafios que o Almirante Ademir terá que enfrentar com as atualizações da Política Nacional de Defesa (PND), da Estratégia Nacional de Defesa (END) e do Livro Branco de Defesa (LBD), além dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016.

Em seu discurso de despedida, De Nardi destacou que chefiar o EMCFA foi o maior desafio de sua carreira e que sentia alegria ao lembrar que tudo começou com apenas três militares, e que atualmente, o órgão conta com um quadro de mais de 500 militares, entre os quais, 18 oficiais-generais. "Passamos, ainda, em processo de consolidação, pela Rio+20, Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo, operações Ágata, e tantas outras atividades não só no nosso país, como também, em várias participações no exterior”, disse.

Agenda

O novo chefe do EMCFA também destacou as prioridades que terá pela frente na condução do Estado Maior Conjunto. “O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas é um dos programas em andamento que deve aumentar a capacidade de comunicação para Forças”, afirmou. O projeto tem o objetivo de trazer tecnologias espaciais críticas, por meio de programas de transferência e de absorção de tecnologia, além de possibilitar cobertura de internet para 100% do território nacional.

Outro programa que o almirante classifica de grande relevância é o H-XBR, que contempla a aquisição de 50 helicópteros de transporte EC-725 para a Marinha, o Exército e a Aeronáutica. O projeto é pioneiro na modalidade de aquisição conjunta das Forças, e as aeronaves estarão preparadas para realizar missões de transporte tático, tropas, cargas, reabastecimento em voo, busca e salvamento, combate e esclarecimento e proteção de superfície marítima.

Em relação à coordenação de exercícios e operações que envolvem a participação das três Forças Armadas, sob a responsabilidade do EMCFA, o Almirante assegurou que, a partir delas, são testadas as variantes e pode-se observar os níveis táticos de interoperabilidade entre as Forças, que é atuação conjunta da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

“Essas operações são importantes porque nos mostram quais deficiências precisam ser corrigidas, como a aquisição de novos equipamentos e outras mudanças estratégicas”, explicou.

No entanto, ele reconheceu que a atual conjuntura econômica do país deverá impactar diretamente na realização destes exercícios, que devem ser reduzidos significativamente em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *