Defesa

Diplomacia
24/10/2016
Operação Militar
24/10/2016

Exército

Operação Curare VII coíbe ilícitos transfronteiriços em Roraima

Brasília – Na noite de 14 de outubro, a 1ª Brigada de infantaria de Selva deflagrou a Operação Curare VII, que tem por finalidade coibir ilícitos transfronteiriços e ambientais em Roraima. De acordo com o Comando do Exército, a operação atende aos requisitos exigidos pelas Leis Complementares 97, 117 e 136.

Durante a operação, são realizados patrulhamentos terrestres, aéreos e fluviais da faixa de fronteira; realizados bloqueios nas estradas e rios do Estado; adotadas medidas de proteção do meio ambiente, por meio da coação a ilícitos ambientais; e realizada a promoção da saúde nas comunidades indígenas por intermédio de ações cívico-sociais (ACISO), que provê atendimento médico e odontológico para a população, além de outros serviços, como o atendimento veterinário para os animais.

A atividade ocorreu em parceria com o ministério Público Federal, a Polícia Federal, a Receita Federal, a Polícia Rodoviária Federal, o ministério Público Estadual, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), a Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar de Roraima, o Distrito Sanitário Especial Indígena – Leste, o Distrito Sanitário Especial Indígena – Yanomami, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado, o ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), o Serviço Social do Comércio (SESC), o Serviço Social da Indústria (SESI), a Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social e as eecretarias estaduais de Saúde e de Educação.

No contexto da Operação Curare VII, o 6º Batalhão de Engenharia de Construção (6º BEC) está realizando obras de recuperação de estradas e pontes, patrulhamentos terrestres, aéreos e fluviais da faixa de fronteira e bloqueios nas estradas e rios de Roraima.

Além disso, o Batalhão participa em ACISOS que beneficiam as comunidades indígenas, em especial no município de Uiramutã, com o encabeçamento de pontes e a recuperação de estradas, que são os únicos meios de acesso à região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *