Brasília, 07 de abril de 2020 - 10h19
Operação Tifeu combate lavagem de dinheiro do narcotráfico

Operação Tifeu combate lavagem de dinheiro do narcotráfico

17 de março de 2020 - 13:18:00
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 17, a Operação TIFEU, decorrente de mais um desdobramento da denominada Operação Spectrum, deflagrada em julho de 2017, na qual foi preso um mega traficante de drogas. Esta fase é continuidade do trabalho de desmantelamento de uma complexa organização criminosa (ORCRIM), especializada em tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

De acordo com a PF, cerca de 80 policiais federais estão cumprindo 33 ordens judiciais, sendo 24 mandados de busca e apreensão e 9 mandados de prisão temporária, nos estados do Paraná, São Paulo, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.

Durante a investigação conduzida pela PF, foi apurado que membros da ORCRIM de origem estrangeira vinham até o território brasileiro para, em conjunto com nacionais, organizarem a remessa de cocaína por meio marítimo. A droga era remetida para a Bélgica oculta em cargas de pedras. Por intermédio de cooperação policial internacional, uma carga de cocaína de duas toneladas foi apreendida no Porto de Gent, naquele país.

Materializado o delito de tráfico internacional de drogas, as investigações financeiras subsequentes descortinaram um possível esquema de lavagem de dinheiro, onde foram identificadas empresas ligadas ao grupo criminoso, que movimentavam grandes valores financeiros.

A Polícia Federal informou que, de acordo com o que foi apurado, apenas uma das empresas ligada a organização criminosa apresentou movimentação financeira de mais de R$ 1 bilhão, a crédito, em cerca de 4 anos, destacando-se o fato de haver várias origens suspeitas.

Apura-se, ainda, o vazamento de informações sigilosas por um escrevente autorizado de cartório de notas para um dos investigados, com possível embaraço às investigações.

As ações reforçam a diretriz de atuação da Polícia Federal relativa a desestruturação das grandes organizações criminosas, com a responsabilização penal de seus integrantes e a compressão dos recursos patrimoniais, garantindo que os bens e valores obtidos com as práticas ilícitas retornem ao Estado e à sociedade.

Agora, os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de Tráfico Internacional de Drogas e Associação para o Tráfico (Lei 11.343/06), Organização Criminosa (art. 2º da Lei nº 12.850/2013) e lavagem de dinheiro (Lei 9.613/98). Os presos serão conduzidos às respectivas Superintendências da Polícia Federal nos estados onde forem encontrados e permanecerão à disposição da Justiça Federal.